top of page

Espaço no 'Festival do Café' incentiva cafeicultura fluminense

No próximo fim de semana um aroma de café fresquinho vai invadir as ruas do Catete, no Rio. Nos dias 11 e 12 de março, no Museu da República, será realizada a 20ª edição do Festival do Café e o Governo do Rio terá um espaço no evento. A ação, desenvolvida pela Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento por meio da EMATER-RIO e da PESAGRO-RIO, terá como objetivo resgatar e fortalecer a cultura cafeeira do estado com o tema 'Muito Prazer, Café Especial do Rio de Janeiro', destacando a produção de qualidade fluminense.

Foto: Divulgação / Governo do Estado do Rio

O Festival tem entrada gratuita e conta com espaço temático para dar visibilidade aos agricultores familiares do Rio de Janeiro, que não são de grande conhecimento do público geral, mas que possuem trajetórias grandiosas - algumas delas recentes, outras de famílias que produzem a bebida como uma atividade familiar centenária.


Para o Secretário Estadual de Agricultura do Rio de Janeiro, Flávio Campos, o Estado avança para um novo patamar na produção agrícola e cada parceria é fundamental.


"É um projeto que me foi apresentado pela EMATER-RIO, ao lado do presidente Marcelo Costa, e visa resgatar a história do Rio de Janeiro. Não podemos deixar que o Rio continue sendo visto como um lugar que não produz cafés especiais, principalmente conhecendo a nossa tradição nesta cultura", disse.


É assim que o produtor Fidelis Rodolphi, do ‘Vai e Volta’, um dos cafés mais prestigiados do estado, vê esse espaço:


"Essa abertura é muito importante para a gente. Nossa intenção é fazer com que o público conheça nosso trabalho. Na verdade, é a intenção de todos os agricultores familiares presentes, e percebo que no nosso meio, dentro do estado, não há uma disputa, todos nós queremos um cenário cafeicultor mais forte", explica.


Bicampeão do Concurso de Qualidade de Cafés Especiais do Estado do Rio de Janeiro, Rodolphi enfatiza a importância para o agricultor familiar estar presente em um evento dessa proporção já que, segundo ele, mesmo com fama dentro do mercado, os cafés por mais prestigiados que sejam, não são de conhecimento da grande maioria.


"Falando especificamente da minha produção, nossa estratégia no evento é, acima de tudo, mostrar nosso café. O espaço cedido é perfeito para fornecer essa abertura ao consumidor que não nos conhece. Com a Secretaria sendo aliada e disponibilizando o estande, conseguiremos alcançar consumidores antes praticamente impossíveis e representar o café de qualidade do Rio de Janeiro, é motivo de orgulho", diz.


A ideia é exatamente dar ênfase aos cafés especiais do Rio de Janeiro e utilizar esse local como vitrine para consumidores que, normalmente, não teriam oportunidade de conhecê-los. No espaço dedicado à EMATER-RIO, o entusiasta conhecerá histórias de todos os cafés especiais presentes no evento, e poderá, de hora em hora, degustar cafés de diferentes regiões do estado: cada um com sua peculiaridade.


Para os mais apaixonados pela bebida, além da degustação, haverá a palestra “Experiências Sensoriais dos Cafés do Rio de Janeiro", exposição sensorial no auditório do Festival, organizada com senhas distribuídas no momento para quem quiser prestigiar.


Organizador e idealizador do evento, Luiz Fernando Villela é um entusiasta do universo cafeeiro e profundo conhecedor da história da cafeicultura no estado. Dessa forma, ele enfatiza a necessidade para resgatar essa tradição que ficou presa no passado:


"O Estado do Rio de Janeiro já ostentou o título de maior produtor mundial de café há muitos anos. Hoje, somos o quinto estado em volume de produção. Através dos cafés especiais, o Rio de Janeiro quer e precisa resgatar a sua história. E o Festival do Café, abraça essa iniciativa, apoiando a agricultura familiar do nosso estado", afirma.


Em sequência, Luiz ainda salienta a importância em ter o apoio da SEAPPA e suas vinculadas nesta edição para mostrar ao público que no Rio de Janeiro se produz, sim, cafés de qualidade:


"Nesta 20ª edição, o Festival do Café, com apoio da SEAPPA, trará alguns pequenos produtores do estado do Rio de Janeiro. Queremos proporcionar para esse produtor a chance de mostrar sua história, a qualidade dos seus cafés, o resultado do seu trabalho na roça, ligando esse produtor diretamente aos consumidores cariocas", acrescentou.


Com tradição adquirida nos últimos anos, o Festival do Café é sinônimo de confiabilidade no ramo cafeeiro, tanto que reúne estudiosos, baristas, torrefações, donos de cafeterias, formadores de opinião e apaixonados pela bebida.


Festival do Café: o que é?


A 20ª edição do Festival do Café promete ser a maior até então. O evento, além de celebrar a bebida, busca fomentar relações reunindo pequenos produtores de cafés especiais, cafeterias, torrefações, e gastronomia harmonizada, como: queijos, doces, cervejas com cafés, artesanatos feitos com cafés em suas composições.


Ocorrida nos municípios do Rio de Janeiro, Niterói e Petrópolis, a feira é consolidada dentro do seu mercado. Dessa maneira, a SEAPPA representada pelas vinculadas EMATER-RIO e PESAGRO-RIO terá um espaço dedicado, demonstrando ao público um outro lado ao consumidor sobre a bebida.


Serviço


Evento: Festival do Café – 20ª edição

Data: 11 e 12 de março

Horário: a partir das 10h

Local: Museu da República, R. do Catete, 153 - Catete, Rio de Janeiro - RJ

Programação completa: https://bit.ly/m/FestivaldoCafe


Fonte: Núcleo de Imprensa do Governo do Estado do Rio de Janeiro

Comments


Divulgação venda livro darcy.png
Chamada Sons da Rússia5.jpg
bottom of page