Estado do Rio tem covid-19 em baixa e aumento da gripe

A 59ª edição do Mapa de Risco da covid-19, divulgada nesta sexta-feira (3/12) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), mostra que pela segunda semana consecutiva o estado está em bandeira verde, de risco muito baixo para transmissão da covid-19. O levantamento indica uma queda de 28% no número de óbitos provocados pela doença e 28% nas internações. A análise compara as semanas epidemiológicas 46 (de 14 de novembro a 20 de novembro) e 44 (de 31 de outubro a 06 de novembro).

Divulgação

As regiões Metropolitana I e Serrana permanecem em bandeira verde, de risco muito baixo. Já a região Noroeste, que estava em bandeira amarela, passa para a bandeira verde. As regiões Norte, Baixada Litorânea, Baía da Ilha Grande, Centro-Sul e Metropolitana II estão classificadas como risco baixo, em bandeira amarela. A região Médio Paraíba é a única classificada em bandeira laranja, com risco moderado para Covid-19. A alteração nessa região ocorreu devido ao aumento de 3 óbitos (de 4 para 7) nas semanas analisadas.


"O estado permanece avançando no combate à pandemia da Covid-19. Isso é reflexo das medidas de enfrentamento e da campanha de imunização. Por outro lado, estamos diante de uma nova variante circulando no mundo e de um surto de influenza. Por isso, é importante mantermos os cuidados individuais, como uso de máscara de proteção, lavagem das mãos e álcool em gel. Também precisamos que as pessoas retornem aos postos para tomar a segunda dose e a dose de reforço contra Covid, assim como a vacina contra influenza", reforça o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe.


No estudo da SES, cada bandeira representa um nível de risco e um conjunto de recomendações de isolamento social, que variam entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo). Os resultados apurados para os indicadores apresentados devem auxiliar a tomada de decisão, além de informar a necessidade de adoção de medidas restritivas, conforme o nível de risco de cada localidade.


Influenza


Na última semana, houve um aumento no número de atendimentos por síndrome gripal nas UPAS estaduais. Os atendimentos passaram de uma média de 260/dia, no período de 17 a 23 de novembro de 2021, para 1.283 atendimentos/dia no período de 24 a 30 de novembro de 2021. Esse aumento corresponde a aproximadamente 400%. Dessa forma, a SES reforça a importância da imunização contra influenza especialmente dos grupos prioritários: crianças de 6 meses a menores de 6 anos, pessoas com 60 anos ou mais, gestantes, puérperas (mulheres que deram à luz há menos de 45 dia) e pessoas com comorbidades, comprometimento do sistema imunológico.


Tendas


Visando dar mais celeridade ao atendimento dos casos de síndrome gripal, a SES deu início, nesta sexta-feira (03.12), a uma nova etapa do plano de contingência para enfrentamento ao surto de influenza. As Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) estaduais vão receber tendas de atendimento a pacientes com síndrome gripal. A primeira unidade a contar com a nova estrutura é a UPA Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio, que além da triagem conta dois consultórios médicos para atendimento exclusivo desses casos. Neste sábado, começa a funcionar a tenda de atendimento ligada à UPA Tijuca.


Fonte: Núcleo de Imprensa do Governo do Estado do Rio de Janeiro

300x250px.gif
728x90px.gif