top of page
banner niteroi carnaval 780x90px 16 02 24.jpg

Estado transfere lideranças do crime para presídios federais

O Governo do Estado do Rio realizou, nesta terça-feira (27/6), a primeira etapa da transferência de lideranças criminosas que estavam em presídios estaduais do Complexo de Gericinó. Durante uma grande operação, que envolveu agentes da Polícia Penal, Polícia Civil e Polícia Militar, com apoio da Polícia Federal, seis presos foram levados para Mato Grosso do Sul, onde passarão a cumprir pena na Penitenciária Federal de Campo Grande.

Divulgação / Governo do Estado do Rio

Alexandre Jorge do Nascimento, Alexandre Silva de Almeida, André Costa Barros, Luís Carlos Moraes de Souza, Marcelo de Almeida Farias Sterque e Rodrigo dos Santos foram transportados em helicópteros da Polícia Militar de Bangu até o Aeroporto Tom Jobim, no Galeão, onde foram entregues a agentes da Senappen (Secretaria Nacional de Políticas Penais) e da Polícia Federal. De lá, seguiram para Mato Grosso do Sul em uma aeronave da Polícia Federal.


Na semana passada, após solicitação do Governo do Estado, a Justiça concedeu autorização para a transferência de 31 lideranças criminosas para presídios federais. A exemplo da ação de hoje, as transferências serão todas realizadas em parceria com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, que disponibilizou as vagas em unidades próprias do governo federal. Os 25 presos restantes que preencherão as demais vagas previstas seguirão aguardando transferência isolados em Bangu I.


"Esses criminosos de alta periculosidade são lideranças de facções e de milícias. Com essa transferência para presídios federais em outros estados, vamos interromper uma cadeia de comando que eles continuam exercendo mesmo estando presos. As forças de segurança trabalharam integradas nessa operação, em prol da população do Rio de Janeiro", disse o governador Cláudio Castro. Ele reiterou o agradecimento ao Ministério da Justiça e Segurança Pública por disponibilizar as vagas nos presídios federais.

Divulgação / Governo do Estado do Rio

Decisão teve como base trabalho de Inteligência


O requerimento de transferência encaminhado pelo Governo do Estado à Justiça teve como base relatórios de inteligência, que identificaram a atuação ativa dessas lideranças criminosas na instabilidade da segurança pública no estado. De acordo com os requerimentos, as transferências têm o objetivo de evitar novas associações e articulações para a prática de crimes. Desde que a autorização para as transferências foi concedida, o Governo do Estado colocou em ação um plano de contingência para impedir que haja reações por parte das facções criminosas e milícias.


"Estamos cumprindo o nosso papel de preservar a ordem e a disciplina junto às unidades prisionais, coibindo que essas lideranças se articulem para além dos muros. As transferências ocorreram com total segurança, sem o registro de nenhuma ocorrência. É a Seap, a Polícia Militar e a Polícia Civil trabalhando de forma cada vez mais integrada", afirmou a secretária de Estado de Administração Penitenciária, Maria Rosa Lo Duca Nebel.

Divulgação / Governo do Estado do Rio

Histórico dos transferidos:


- Rodrigo dos Santos (‘Latrell’) – 8 anotações criminais por homicídio qualificado, associação criminosa, receptação e extorsão e organização criminosa. Atuação: Baixada Fluminense


- Alexandre Jorge do Nascimento (‘Jason’) – 9 anotações criminais por homicídio qualificado, homicídio simples, formação de quadrilha, porte ilegal de arma de fogo de uso permitido e estelionato. Atuação: Baixada Fluminense


- Alexandre Silva de Almeida – 10 anotações criminais por organização criminosa, roubo majorado, homicídio, quadrilha ou bando e extorsão mediante sequestro. Atuação: Campo Grande, zona oeste


- André Costa Barros – (‘Boto’) – 6 anotações criminais por organização paramilitar, receptação, homicídios, posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, tráfico de drogas, associação para o tráfico de drogas. Atuação: Curicica, Recreio e Campo Grande


- Luís Carlos Moraes de Souza (‘Monstrão’) – 111 anotações criminais por tráfico de drogas, associação para o tráfico de drogas e homicídio qualificado. Atuação: Favela das Malvinas, Nova Holanda, Morro do Urubu e Macaé


- Marcelo de Almeida Farias Sterque (‘Marcelinho Merindiba’) – 11 anotações criminais por roubo, homicídio, resistência, porte ilegal de armas de fogo e tráfico de drogas.


Fonte: Núcleo de Imprensa do Governo do Estado do Rio de Janeiro

Chamada Sons da Rússia5.jpg
banner niteroi carnaval 300x250px 16 02 24.jpg
Divulgação venda livro darcy.png
bottom of page