Etanol, café, gasolina, botijão de gás; veja maiores altas em 2021


(Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

A alta de 10,06% em 2021 na inflação oficial, a maior desde 2015 medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), foi puxada pelo aumento de 21,03% no grupo Transportes. De longe, o principal impacto no índice anual foi da gasolina, que acumulou alta de 47,49% em 2021 e o etanol, de 62,23%. Mas estes não foram os únicos vilões da inflação no bolso do consumidor, atingido fortemente também pela disparada nos preços do gás de cozinha, energia elétrica, café moído, açúcar, entre outros.

Seguido da gasolina e etanol, o segundo maior impacto no grupo transportes foi o item gás de botijão, que subiu 36,99% no ano, acumulando 48,76% de aumento desde junho de 2020.

No ano, o preço dos automóveis novos subiu 16,16% e o dos usados, 15,05%. Transportes por aplicativo, como Uber, ficaram 33,75% mais caros e as passagens aéreas, 17,59%.

No grupo Habitação, que subiu 13,05% em 2021, a principal alta foi na energia elétrica, com acumulado de 21,21% no ano.

No grupo Alimentação e Bebidas, houve variação de 7,94% em 2021. O café moído subiu 50,24% e o açúcar refinado, 47,87%. O açúcar cristal aumentou 37,55% e o frango em pedaços, 29,85%.

A quarta maior alta em 2021 foi no grupo Vestuário, com aumento de 10,31%.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg