EUA acusam brasileiros de fraude com criptomoedas


(Michael Wensch/Domínio Público)

De acordo com a acusação, a empresa dos sócios brasileiros enganou investidores sobre um programa de mineração que traria retorno financeiro em criptomoedas, o qual mobilizou mais de R$ 300 milhões.

Na sexta-feira (6), o Departamento de Justiça dos EUA denunciou um brasileiro suspeito de orquestrar um esquema global de fraude de investimento que movimentou US$ 62 milhões (R$ 314 milhões). homem em questão trata-se do CEO da Mining Capital Coin, Luiz Capuci Júnior, de 44 anos. Se condenado por todas as acusações, o CEO da MCC enfrenta uma pena total máxima de 45 anos de prisão. As informações são do Globo.

Os procuradores americanos afirmam que a MCC vendia "pacotes de mineração" e garantia que os investidores obteriam lucros substanciais. O dinheiro aplicado seria usado para minerar novas criptomoedas. Entretanto, em vez de usar o dinheiro na mineração, Capuci teria desviado os valores aplicados pelos clientes para carteiras de criptomoedas sob seu controle.

"As fraudes baseadas em criptomoedas prejudicam os mercados financeiros em todo o mundo, pois os maus atores enganam os investidores e limitam a capacidade de empreendedores legítimos de inovar neste espaço emergente", disse o procurador-geral assistente Kenneth A. Polite Jr. da Divisão Criminal do Departamento de Justiça citado pela mídia.

Polite Jr. acrescentou que o órgão norte-americano "está comprometido em seguir o dinheiro – seja físico ou digital – para expor esquemas criminosos, responsabilizar esses fraudadores e proteger os investidores".

No entanto, além do departamento, Capuci também foi acusado pela Securities Exchange Comission (SEC, na sigla em inglês – órgão que regula o mercado de capitais nos EUA), mas desta vez em companhia de seu sócio, o também brasileiro Emerson Souza Pires.

Assim como a primeira acusação, os dois são apontados pelo SEC como responsáveis por "vendas fraudulentas de planos de investimento chamados pacotes de mineração para milhares de investidores".

Segundo a SEC, os dois brasileiros venderam, desde pelo menos janeiro de 2018, pacotes de mineração para 65.535 investidores em todo o mundo e prometeram retornos diários de 1%, pagos semanalmente, por um período de até 52 semanas.

A mídia relata que não conseguiu contato com os denunciados, e no site da MCC consta uma mensagem de "acesso negado" e também um aviso legal, no qual a empresa afirma que presta seus serviços "exclusivamente nos territórios em que está licenciada".


Com a Sputnik

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg