top of page
banners dengue balde niteroi 728x90 29 2 24.jpg

EUA recusam vender mísseis ao Brasil por ameaças de Bolsonaro


Proposta do Brasil é de adquirir cerca de 220 mísseis antitanque Javelin dos Estados Unidos (Reprodução)

Um pedido do Exército brasileiro para comprar mísseis antitanque Javelin dos Estados Unidos, no valor de cerca de US$ 100 milhões (R$ 511,5 milhões), está parado nas mãos das autoridades de Washington.

Segundo informações publicadas pela Reuters nesta segunda-feira (8), parlamentares norte-americanos se recusam a liberar a venda dos mísseis antitanque ao Brasil por preocupação com as intenções de Jair Bolsonaro. A reportagem, que ouviu deputados dos EUA, cita os ataques de Bolsonaro ao sistema eleitoral brasileiro.

A proposta do Brasil para adquirir cerca de 220 mísseis Javelin foi feita inicialmente quando o ex-presidente Donald Trump, então aliado de Bolsonaro, estava na Casa Branca.

O Departamento de Estado aprovou a proposta no fim do ano passado, apesar de objeções por parte de algumas autoridades norte-americanas de baixo escalão, segundo fontes consultadas pela publicação.

O acordo sigiloso, entretanto, está emperrado em um limbo processual em meio à crescente preocupação entre os parlamentares democratas dos EUA a respeito dos questionamentos que Bolsonaro tem feito sobre a integridade das urnas eletrônicas e da segurança da eleição de outubro no Brasil, disseram as fontes.

O pedido brasileiro pelos mísseis de alta tecnologia fabricados nos EUA, que ganharam fama por seu uso efetivo pelas forças ucranianas contra blindados russos, acabou travado devido a um esforço liderado pelos democratas "para enviar uma mensagem a Bolsonaro e às Forças Armadas brasileiras".

"Está caminhando lentamente no Capitólio e não vai a lugar nenhum tão cedo" por conta das incertezas sobre Bolsonaro, disse uma fonte que acompanha as negociações.

Vale lembrar que, recentemente, o secretário de Defesa dos EUA, Lloyd Austin, trouxe ao Brasil uma mensagem de respeito à democracia em uma reunião de ministros de Defesa da região em julho.

A declaração foi dada após uma visita do diretor da CIA, William Burns, na qual ele disse a importantes assessores de Bolsonaro que o presidente deveria parar de minar a confiança no processo eleitoral do país.

Os EUA também estão preocupados com o retrocesso ambiental sob Bolsonaro, bem como seu relacionamento amigável com o presidente russo, Vladimir Putin.

Fabricado pelos gigantes da área de defesa Lockheed Martin e Raytheon, o Javelin tornou-se uma das armas mais conhecidas do mundo devido ao seu uso no conflito na Ucrânia.


Fonte: Agência Sputnik

Commentaires


Chamada Sons da Rússia5.jpg
banners dengue balde niteroi 300x250 29 2 24.jpg
Divulgação venda livro darcy.png
bottom of page