EUA temem transferir caças para Ucrânia: 'alto risco'


(Foto: Julian Herzog/Wikimedia Commons)

Os EUA não planejam transferir caças para a Ucrânia no momento para não provocar uma nova escalada com a Rússia, disse o porta-voz do Departamento de Defesa do país, John Kirby, durante uma entrevista coletiva nesta quarta-feira (9).

Comentando a proposta da Polônia de entregar seus 28 MiG-29 a Kiev via EUA, o porta-voz a chamou de "alto risco" e disse: "As nações soberanas podem decidir por si mesmas o que querem fazer". transferir essas aeronaves para nossa custódia e depois transferi-las para a Ucrânia, é algo que não vamos explorar neste momento."

"A transferência de caças neste momento pode ser confundida por Putin e pelos russos como um passo de escalada", explicou Kirby, citando dados de inteligência dos EUA. "Devemos ser cuidadosos com cada decisão que tomamos", enfatizou.

Ao mesmo tempo, ele informou que Washington não está recuando no fornecimento de outros tipos de armas a Kiev.

“Opções alternativas estão trabalhando com outros aliados e nações parceiras em todo o mundo que podem ter capacidades e sistemas de defesa aérea adicionais à sua disposição e podem estar dispostos a fornecê-los à Ucrânia. […] Também poderia incluir sistemas de defesa aérea. portáteis adicionais, e certamente sistemas anti-blindagem", disse Kirby.

"Vamos continuar conversando com os ucranianos sobre suas necessidades. [...] Não acreditamos que aviões adicionais sejam a resposta mais eficaz para atender a essas necessidades no conflito", reiterou.

As Forças Armadas da Ucrânia relataram ter concordado com a Polônia, Bulgária e Eslováquia para entregar seus aviões militares de fabricação soviética.

No domingo passado, o Ministério das Relações Exteriores da Polônia refutou essa afirmação. No entanto, no mesmo dia, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, disse que os países membros da Otan tinham "luz verde" para fornecer aviões de guerra à Ucrânia.

Na terça-feira, a Polônia anunciou que estava pronta para transferir seus MiG-29 para a base aérea americana de Ramstein, na Alemanha. Em troca, ele pediu aos EUA que lhe fornecessem "aeronaves usadas com capacidades operacionais correspondentes".

Poucas horas depois, a subsecretária de Estado para Assuntos Políticos dos EUA, Victoria Nuland, confirmou perante o Senado que a decisão havia sido tomada após "alguns dias de consultas sobre […] um pedido dos ucranianos para receber aviões", no meio da operação militar russa no país. No entanto, o porta-voz do Pentágono, John Kirby, indicou que "a decisão de transferir aviões […] para toda a OTAN.


Fonte: Agência RT

300x250px.gif
728x90px.gif