EUA: uma morte em meio a protestos pró e anti-Trump


Homem morreu baleado no centro da cidade de Portland nas proximidades das manifestações (Reprodução)

Em nova noite de protestos e tumultos no centro de Portland, cidade no noroeste dos EUA, apoiadores de Trump e manifestantes do Antifa e Black Lives Matters (Vidas Negras Importam) entraram em confronto. Um homem foi baleado e morreu nas proximidades.

No sábado (29), uma carreata com mais de 600 veículos de apoiadores de Donald Trump entrou na cidade de Portland, estado de Oregon, EUA. A polícia relatou confrontos entre os participantes do comício pró-Trump e manifestantes anti-Trump.

Os manifestantes do Antifa e do Black Lives Matter incendiaram o prédio da Associação de Policiais na cidade, e jogaram pedras e outros objetos contra os policiais, enquanto a polícia tentava dispersar a multidão. Várias pessoas foram presas após violentos confrontos com os agentes policiais.

A polícia relatou a morte de um homem em um tiroteio, mas não foi confirmado se a morte tem conexão com os confrontos entre a caravana Antifa/BLM e a de Trump.

De acordo com relatórios preliminares, a vítima do tiroteio é um homem branco, que, no entanto, não foi identificado pela polícia.

Os protestos contra a brutalidade policial vêm atingindo Portland há mais de três meses, desde a morte de George Floyd em Minneapolis, estado de Minnesota, durante uma detenção violenta.

O presidente Trump se ofereceu para enviar a polícia federal para a cidade, a fim de frear as manifestações, criticando o prefeito Ted Wheeler e prometendo "deter os anarquistas, agitadores, desordeiros e saqueadores".

O prefeito rejeitou a ajuda e criticou o presidente por "políticas de divisão e demagogia". Mais tarde, um grupo de manifestantes invadiu o lobby do prédio de apartamentos de Wheeler e exigiu sua demissão.


Com a Sputnik

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif