Ex-presidente Collor é alvo de novo de operação da PF


(Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)

A Polícia Federal cumpriu nesta quarta-feira (21) mandado de busca em endereço do ex-presidente e atual senador Fernando Collor de Mello (Pros-AL), em torno de investigação de esquema de propina na área ambiental que seria usada pelo parlamentar para a compra de carros de luxo e até um jato executivo.

A operação, chamada Quinto Ato, investiga possível esquema de propina para a obtenção de licenças ambientais junto ao Ibama, no Paraná, ainda em 2014 e 2015.

As propinas teriam sido pagas para a instalação do Porto Pontal Paraná Importação e Exportação AS, no estado do Paraná.

Para tanto, a Polícia Federal, em operação autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, e executada por cerca de 50 policiais, cumpriu nesta quarta-feira (21) mandado de busca e apreensão em um endereço ligado a Collor.

Além de 12 mandados de busca e apreensão cumpridos nos estados de São Paulo, Paraná e Santa Catarina, a Justiça também determinou o bloqueio de valores financeiros.

A ação está no contexto da Operação Politeia, deflagrada em 2015 no âmbito da Lava Jato, quando carros de luxo de Collor foram apreendidos.

Já o nome Quinto Ato proveio de um rastreamento financeiro executado pela PF a partir da quinta parcela de um jato executivo adquirido pelo senador.

300x250px.gif
728x90px.gif