'Execução' ou 'acidente', diz Bolsonaro sobre desaparecidos


O jornalista Dom Phillips e o indigenista da Funai Bruno Araújo Pereira (Reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta terça-feira que o jornalista inglês Dom Phillips e o indigenista da Funai Bruno Araújo Pereira, desaparecidos na Amazônia há dois dias, estavam em uma "aventura não recomendável". Phillips e Pereira percorriam o rio Ituí, entre as comunidades ribeirinhas de São Rafael e Atalaia do Norte, quando desapareceram no domingo (5).

Bolsonaro disse que pode ser um "acidente" ou uma "execução", e ressaltou que as Forças Armadas estão "trabalhando com muito afinco" para tentar localizá-los.

"Realmente, duas pessoas apenas em um barco, em uma região daquela, completamente selvagem, é uma aventura que não é recomendável que se faça. Tudo pode acontecer. Pode ser um acidente, pode ser que tenham sido executados. A gente espera e pede a Deus que sejam encontrados brevemente", disse.

O governo federal montou uma força-tarefa para se concentrar nas buscas.

A equipe é integrada por agentes da Polícia Federal, oficiais da Marinha e do Exército, bombeiros, Funai, Defesa Civil e Força Nacional de Segurança Pública.

O desaparecimento foi anunciado pela União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja). Pereira era alvo constante de ameaças por combater invasores como pescadores, garimpeiros e madeireiros ilegais.

O Vale do Javari, onde eles desapareceram, é a região com a maior concentração de povos indígenas isolados do mundo.


Ganhe_Ate_300x250px.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
Aumentou_728x90px.gif