top of page
banners dengue balde niteroi 728x90 29 2 24.jpg

Facada de Bolsonaro teria sido farsa


"Facada" quase na altura do peito (Reprodução)

O documentário "Bolsonaro e Adélio - uma facada no coração do Brasil", produzido pelo repórter investigativo Joaquim de Carvalho e publicado no portal Brasil 247, foi reafirmado pelo deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP), ex-bolsonarista de primeira hora na eleição de Jair Bolsonaro. "Uma farsa com requintes cinematográficos, que levou Bolsonaro de 8 segundos de TV para 24 horas por dia. E assim foi eleito", disse o parlamentar após assistir ao documentário, que revela os furos da história sobre a "fakeada" ocorrida em Juiz de Fora durante a campanha eleitoral de 2018.

“Acabo de assistir ao excelente trabalho do Jornalista Joaquim de Carvalho, Bolsonaro forjou a facada, aproveitou para tratar de um problema sério no Intestino. Uma farsa com requintes cinematográficos, que levou Bolsonaro de 8 segundos de TV para 24 horas por dia. E assim foi eleito”, postou Frota no Twitter, dizendo ainda que, depois de assistir ao documentário, "tudo está mais claro para mim".

Frota, que já fez parte da base governista, disse ao Brasil 247 que ao saber do ocorrido se dirigiu ao hospital em que Bolsonaro estava internado, mas foi impedido de subir pelo então coordenador de campanha, Gustavo Bebianno, que morreu em março de 2020, vítima de um infarto em seu sítio em Teresópolis, aos 56 anos.

“Bebiano disse para mim que eu não poderia subir, não queriam”, destacou. Ainda segundo Frota, Levi Fidelix, então presidente do PRTB, teria ligado pedindo que ele alertasse Bebiano para evitar que Bolsonaro fosse transferido para o Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

“Levi Fidelix foi quem ligou para mim no caminho e me contou que se ele fosse para o Sírio seria morto lá e que empresários como Meyr [Meyer Nigri, fundador da construtora Tecnisa] armaram para levá-lo para o Einstein. Ele pediu assim que eu chegasse que falasse isso para o Bebiano e foi o que eu fiz”, afirmou Frota. Depois impediram que eu fosse visitá-lo no Einstein”, completou.

Bolsonaro mostra cicatriz em programa de TV. Local não corresponde à facada que teria levado (Reprodução)

“Depois de assistir (o documentário) tudo está mais claro para mim. Bolsonaro tinha um câncer no intestino, benigno, e precisava operar. Juntou a fome com a vontade de comer e ganhou a eleição, de 8 segundos de TV passou a ter 24 horas”, disse ao portal.

O documentário "Bolsonaro e Adélio - uma facada no coração do Brasil", de uma hora e 44 minutos, foi lançado na noite de sábado (11) no Youtube. A produção, que contou com o apoio e financiamento coletivo de assinantes e apoiadores do Brasil 247, chegou a ter 15 mil espectadores simultâneos e já foi visto por dezenas de milhares de internautas.

Confira a postagem de Alexandre Frota e o documentário do 247.


Comments


Chamada Sons da Rússia5.jpg
banners dengue balde niteroi 300x250 29 2 24.jpg
Divulgação venda livro darcy.png
bottom of page