Fachin reage: eleição é assunto das 'forças desarmadas'


(Foto: Carlos Alves Moura/Agência Brasil)

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, reagiu nesta quinta-feira (12) às insinuações golpistas do presidente Jair Bolsonaro (PL) ao afirmar que quem trata das eleições no país são as "forças desarmadas". Fachin disse ainda que o país terá eleições limpas e que "ninguém e nada interferirá" na Justiça Eleitoral. A fala ocorreu após o evento do Teste Público de Segurança (TPS) que avalia soluções aplicadas ao sistema eletrônico de votação.

“Quem trata de eleição são forças desarmadas e, portanto, dizem respeito à população civil que, de maneira livre e consciente, escolhe seus representantes. Logo, diálogo sim, colaboração sim, mas a palavra final é da Justiça Eleitoral”, afirmou o presidente do órgão, que apontou ainda que o trabalho das Forças Armadas para logística e administração da eleição é "proveitoso", mas que o processo eleitoral é tema civil. Na última segunda-feira, o TSE rejeitou propostas das FA e apontou erros.

“País e sociedade agradecem. Vamos ter dia 2 de outubro, o Brasil terá eleições limpas, seguras, com paz e segurança. Ninguém e nada interferirá na Justiça Eleitoral. Não admitimos qualquer circunstância que impeça o brasileiro de se manifestar”, afirmou Fachin.

Fachin disse que quem coloca dúvidas sobre o processo eleitoral “não confia na democracia”. Mas negou que a frase seja um recado a Bolsonaro, que vem tentando desmoralizar o sistema eleitoral afirmando, sem ter nenhuma prova, que as urnas podem ser fraudadas e ameça não aceitar o resultado do pleito de outubro. “Não mando e não recebo recados de ninguém”, disse.

“Quem defende ou incita a intervenção militar está praticando ato de afronta à Constituição e à democracia. Não se trata de recado, é uma constatação”, acrescentou.

As eleições estão marcadas para o dia 2 de outubro, quando os brasileiros escolherão presidente da República, governadores, senadores e deputados federais, estaduais e distritais. Eventual segundo turno será realizado no dia 30 de outubro.

"Quem vai ganhar as eleições é a democracia. Nós vamos diplomar os eleitos e isso certamente acontecerá. Há muito barulho mas esse tribunal opera com racionalidade técnica", argumentou.

Testes

Esse é o segundo dia do TPS. O teste de confirmação ocorre até o dia 13 de maio, das 9h às 18h. O encerramento das atividades está previsto para as 17h desta sexta-feira (13).

O TPS é um evento permanente do calendário eleitoral, é realizado pelo TSE desde 2009, preferencialmente no ano anterior ao das eleições.

Na sexta edição do TPS, ocorrida de 22 a 27 de novembro de 2021, dos 29 planos de ataques aos componentes da urna eletrônica, somente cinco registraram achados, cujas soluções estão sendo submetidas a exame no teste de confirmação.

300x250px.gif
728x90px.gif