Fifa pede que clubes europeus liberem para Eliminatórias


Gianni Infantino, presidente da Fifa (Reprodução)

Sob ameaça de perder 11 jogadores convocados para as partidas em setembro pelas Eliminatórias, o técnico Tite deve se sentir mais aliviado após o presidente da Fifa, Gianni Infantino, defender nesta quarta-feira que os clubes das ligas da Inglaterra e da Espanha revejam sua posição e decidam pela liberação de jogadores para as eliminatórias da Copa do Mundo para "preservar e proteger a integridade esportiva".

As duas das principais ligas de futebol da Europa anunciaram na terça-feira (24) que apoiam os clubes que se recusam a liberar jogadores para disputar partidas em setembro pelas eliminatórias em países onde eles teriam de ficar em quarentena no seu retorno, principalmente na América do Sul.

A Premier League (Inglaterra) disse que cerca de 60 jogadores estavam programados para viajar a 26 países que estão na "lista vermelha" do governo britânico, enquanto a espanhola La Liga disse que 25 jogadores de 13 clubes diferentes serão afetados, número que pode ser ampliado quando Equador e Venezuela anunciarem a convocação de suas seleções.

"Estou pedindo uma demonstração de solidariedade de cada membro da associação, cada liga e cada clube, para fazer o que é certo e justo para o jogo mundial", disse o presidente da Fifa em comunicado. "Muitos dos melhores jogadores do mundo competem em ligas na Inglaterra e na Espanha, e acreditamos que esses países também compartilham a responsabilidade de preservar e proteger a integridade esportiva das competições em todo o mundo", apelou ainda Infantino.

As regras rígidas na Inglaterra exigem que os jogadores fiquem em quarentena por 10 dias após sua chegada ao país, com a Premier League afirmando que o governo não concedeu nenhuma isenção para jogadores de futebol.

Infantino disse que escreveu ao primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, pedindo apoio.

"Sugeri que uma abordagem semelhante à adotada pelo governo do Reino Unido para as fases finais da Eurocopa seja implementada para as próximas partidas internacionais", acrescentou Infantino.

Seleção Brasileira

Se não for revisto o "não" de ingleses e espanhóis, a lista de Tite será 50% desconfigurada para as partidas contra o Chile, a Argentina e o Peru. Caso a decisão se mantenha, o treinador perderá praticamente um "time" inteiro, já que ficariam fora Alisson, Fabinho e Roberto Firmino (Liverpool), Ederson e Gabriel Jesus (Manchester City), Thiago Silva (Chelsea), Fred (Manchester United), Richarlison (Everton) e Raphinha (Leeds), além de Eder Militão e Casemiro (Real Madri).

300x250px.gif
728x90px.gif