Filho diz que Flordelis pediu para ele assumir autoria do crime


Flordelis e o marido, o pastor Anderson, assassinado em 2019 (Foto: Divulgação)

Em depoimento ao Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados nesta segunda-feira, Lucas Cézar dos Santos de Souza, filho adotivo da deputada Flordelis, afirmou que a mãe pediu que ele assumisse a autoria do assassinato do pastor Anderson do Carmo. Ela é acusada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro de ser mandante da morte do marido, e o processo no Conselho pode levar à cassação de seu mandato por quebra de decoro.

Preso acusado de participação no crime, Lucas prestou depoimento via videoconferência, direto do Presídio Tiago Teles, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio, e deu detalhes da acusação feita contra a mãe, pastora evangélica:

"Isso veio em uma carta através dos advogados do Flávio (filho biológico de Flordelis). Cheguei no presídio dias depois dele. Ficamos na mesma cela. Minha mãe mandava cartas com frequência para mim. Em uma delas, ela pediu para eu assumir a autoria do crime. Do contrário, ela e o Flávio poderiam ser prejudicados. Ela pediu para eu fazer isso, falando que não iria me abandonar e me daria toda a assistência. Inclusive a carta tinha a assinatura dela", narrou ao Conselho de Ética, acrescentando que a carta foi rasgada dentro do presídio pelo irmão Flávio.

Lucas admitiu também ter intermediado a compra da arma utilizada no assassinato, citando que o irmão Flávio, que pagou R$ 8,5 mil pela arma, afirmou estar interessado na compra, pois estava sendo ameaçado “por algumas pessoas”.

Lucas também acusa outra filha de Flordelis , Marzy Teixeira da Silva, de ser responsável por planejar o assassinato, a mando da deputada.

"Quem entrou em contato comigo pela primeira vez foi a Marzy, em janeiro de 2019. Ela me ofereceu um dinheiro. Falou que o Anderson estava atrapalhando a vida dela, atrapalhando a vida da minha mãe e que ninguém na casa estava suportando mais ele e perguntou se eu não dava um fim nele. Na época, eu estava no tráfico de drogas. Ela me ofereceu o valor de R$ 10 mil e alguns relógios para eu dar um fim nele. E me mandou uns prints de conversas dela com a minha mãe", detalhou.

300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif