Fiocruz alcança marca de 70 milhões de doses de vacina


Centro de Processamento Final de Bio-Manguinhos, no Rio de Janeiro (Foto: Divulgação/Fiocruz)

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) chegou nesta sexta-feira (16) à marca de 70,4 milhões de doses produzidas no Instituto de Tecnologia Imunobiológicos (Bio-Manguinhos) no Rio de Janeiro e entregues ao Programa Nacional de Imunizações (PNI). Bio-Manguinhos produz a vacina Oxford/AstraZeneca a partir de ingrediente farmacêutico ativo (IFA) importado e prevê chegar a 100 milhões de doses entregues em agosto.

Entre as 115 milhões de doses aplicadas no Brasil até o momento e já registradas no sistema Localiza SUS, do Ministério da Saúde, 46,6% (53,9 milhões) são da vacina Oxford/AstraZeneca; 39,2% (45,3 milhões), da CoronaVac, 10,9% (12,5 milhões), da Pfizer/BioNTech e 3,3% (3,8 milhões), da Janssen.

Nesta sexta-feira, 4,5 milhões de doses foram liberadas para aplicação nos municípios brasileiros. Uma remessa de 212 mil doses foi entregue diretamente ao estado do Rio de Janeiro, onde fica a sede da fundação, e as demais foram levadas para o almoxarifado do Ministério da Saúde.

Entre janeiro e fevereiro, o Brasil começou a receber a vacina AstraZeneca por meio de um acordo com o Instituto Serum, da Índia, que enviou 4 milhões de doses prontas. Desde março, começaram a chegar ao PNI as doses produzidas em Bio-Manguinhos, que tem um acordo de encomenda tecnológica com a farmacêutica europeia para produzir 100,4 milhões de doses a partir de IFA fabricado na China.

Prevista nesse acordo, uma nova remessa do IFA para a produção de 10 milhões de doses chega neste sábado, à noite, à Fiocruz, no Rio de Janeiro.

O instituto da Fiocruz também já se prepara para produzir o IFA no Brasil e iniciou, em julho, o processo de fabricação. A produção do IFA será possível graças a um acordo de transferência de tecnologia, assinado no início de junho com os desenvolvedores da vacina.


Fonte: Agência Brasil

300x250_QuatroRodas.gif
728x90_PorqueArCondicionado.gif
Toda Palavra 076 - p 4-5.jpg

Leia a versão digital da edição impressa do TP