Flordelis: MP-RJ pede que Justiça mantenha júri popular


(Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados)

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) voltou a defender que a ex-deputada federal Flordelis e outros nove réus acusados do assassinato do pastor Anderson do Carmo, em 16 de junho de 2019, sejam levados a júri popular. A defesa de Flordelis, acusada de ser a mandante do crime, havia entrado com recurso contra a decisão da juíza da 3ª Vara Criminal de Niterói, Nearis dos Santos Carvalho Arce, que determinou em maio deste ano que o caso fosse a júri popular.

O MP-RJ apresentou parecer contrário a esse recurso na última sexta-feira (20), por meio da 4ª Procuradoria de Justiça. O pedido da defesa de Flordelis ainda será julgado.

A ex-deputada foi transferida na semana passada para o presídio Talavera Bruce, no Complexo Penitenciário de Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ela está presa preventivamente desde 13 de agosto, por decisão da 3ª Vara Criminal de Niterói.

Em março, a promotoria havia pedido que nove dos onze réus sejam levados a júri popular, apontando a ex-deputada como a responsável por arquitetar o homicídio, inclusive comprando a arma usada pelo assassino. O pedido de julgamento em júri popular se deu nas alegações finais da promotoria no processo, após a realização de seis audiências, em que foram ouvidas 30 testemunhas.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg