Flordelis: relator dirá em 10 dias se inicia cassação


(Foto: Agência Brasil)

A deputada Flordelis (PSD-RJ) prestou depoimento no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara, nesta quinta-feira (13), e voltou a dizer que é inocente e que "é terrível esse rótulo de assassina". Agora o relator do caso, deputado Alexandre Leite (DEM-SP), terá até dez dias úteis para apresentar seu parecer. Se o Conselho decidir pela suspensão ou cassação do mandato parlamentar,. o processo segue para o julgamento final no plenário da Câmara.

Flordelis reclamou que virou "pária" desde que foi denunciada como mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019.

“Eu virei pária para o governo, para a direita, para a esquerda, seja lá quem for, desta Casa, que quer surfar nos louros da mídia que clama pelo meu sangue”, disse.

Flordelis é acusada pelo Ministério Público do Rio de Janeiro e responde por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, emprego de meio cruel e de recurso que impossibilitou a defesa da vítima), tentativa de homicídio por envenenamento, uso de documento falso e associação criminosa armada.

Em depoimento no dia 19 de abril ao Conselho de Ética, Lucas Cézar dos Santos de Souza, filho adotivo da deputada, afirmou que a mãe pediu para que ele assumisse a autoria do assassinato.

“Eu queria que vocês [deputados] pensassem, refletissem para que uma injustiça não seja cometida nesta Casa, que a injustiça não seja cometida com a minha vida. Me deixem continuar com meu mandato, com meu trabalho", disse a deputada.

De acordo com decisão da juíza do 3º Tribunal do Júri de Niterói, Nearis dos Santos Carvalho Arce, a deputada e mais nove acusados irão a júri popular.

Por ter imunidade parlamentar, Flordelis segue em liberdade, monitorada por tornozeleira eletrônica.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg