Fogos e cofre em casas de extremistas pró-Bolsonaro


Material apreendido pela Polícia Civil do DF em duas casas usadas por grupos extremistas (Reprodução)

Fogos de artifício, anotações e planos de ações, além de um facão e celulares foram apreendidos pela Polícia Civil do Distrito Federal, na manhã desde domingo (21), em duas casas na região de Arniqueira no DF usadas por grupos extremistas que apoiam o presidente Jair Bolsonaro.

O alvo da operação eram três grupos investigados por promover ameaças e formação de milícia privada com porte de armas.

A operação, deflagrada por policiais da Coordenação Especial de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado (Cecor) do Distrito Federal, não encontrou armas de fogo. Foram apreendidos fogos de artifício, anotações com planejamento de ações, cartazes, celulares, um facão, um cofre e outros materiais destinados a manifestações.

Segundo a Cecor, as casas eram usadas como base de apoio dos grupos e havia barracas instaladas no terreno. O imóvel tem câmeras de segurança que cobrem toda a sua extensão.

Líder atrás das grades

A operação no Distrito Federal ocorre quatro dias após a líder do grupo de extrema-direita "300 do Brasil", Sara Giromini, mais conhecida como Sara Winter, ter sido presa pela Polícia Federal por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Morais, no inquérito que apura ameaças contra o STF e a disseminação de notícias falsas na Internet - as fakenews. Na última sexta-feira (19), Moraes decidiu prorrogar sua prisão na Penitenciária Feminina de Brasília por mais cinco dias.

300x250_QuatroRodas.gif
728x90_PorqueArCondicionado.gif
Toda Palavra 076 - p 4-5.jpg

Leia a versão digital da edição impressa do TP