Forças russas usam pela 1ª vez mísseis hipersônicos na Ucrânia


(Foto: Sputnik/Ministério da Defesa da Rússia)

O representante oficial do Ministério da Defesa da Rússia, major-general Igor Konashenkov disse que, no âmbito da operação militar especial, as Forças Armadas da Rússia utilizaram pela primeira vez mísseis hipersônicos Kinzhal ("punhal" em russo), destruindo depósito subterrâneo militar no Oeste da Ucrânia.

"Em 18 de março, o complexo de mísseis hipersônicos Kinzhal destruiu um grande depósito subterrâneo de mísseis e munições de aviação das forças ucranianas no povoado de Delyatin, na região de Ivano-Frankovsk", disse Konashenkov.

A defesa russa publicou um vídeo do controle objetivo após a destruição com um míssil de uma unidade de reconhecimento e sabotagem das tropas ucranianas.

O vídeo mostra um grupo de vários veículos militares Humvee dos EUA usados pelo grupo de sabotagem. A filmagem é conduzida por um drone.

Os mísseis hipersônicos Kinzhal são mais precisos e eficazes, capazes de cobrir grandes distancias. Chamados de "invencíveis" por Vladimir Putin, conseguem atingir velocidades até mais de cinco vezes superiores a velocidade do som. Ao atingir 1.200 km/h, um objeto em alta velocidade produz uma onda de som, denominada estrondo sônico. Essa é a velocidade do som, chamada de Mach 1. Ao se atingir pelo menos cinco vezes esse valor,Mach 5, se está diante de um objeto que se locomove em velocidade hipersônica.

Equipados em aviões de guerra MiG-31, esse tipo de míssil consegue burlar os sistemas de defesa antiaérea, segundo Moscou. Durante os testes, eles atingiram todos os seus alvos a uma distância de até 1.000 a 2.000 km.

Konashenkov disse também que, desde o início da operação, já foram destruídos 196 veículos aéreos não tripulados das forças ucranianas.

Desde o início foram eliminados "1.438 tanques e outros veículos de combate blindados, 145 lançadores múltiplos de foguetes, 556 peças de artilharia e morteiros, bem como 1.237 veículos militares especiais", informou Konashenkov.

Além disso Ministério da Defesa ressalta que, na noite de 19 de março, a aviação russa destruiu na Ucrânia quatro sistemas de mísseis antiaéreos, dos quais três S-300 e um Buk-M1. Acrescenta que, na mesma noite, a aviação tático-operacional, aviões do exército e aeronaves não tripuladas alvejaram e destruíram 69 alvos militares da Ucrânia.


Com a Sputnik

300x250px.gif
728x90px.gif