top of page

Fórum de Multipolaridade reúne 350 representantes de 130 países

Moscou está sediando o Segundo Congresso do Movimento Internacional Russófilo e o Fórum de Multipolaridade, que reúne cerca de 350 representantes de 130 países da Ásia, Europa, África, América Latina e América do Norte. O evento foi aberto pela representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova.

Em seu discurso, ela destacou a inevitabilidade da transição da comunidade mundial para um novo sistema de ordem mundial.


"A reestruturação da estrutura da economia mundial e sua transferência para uma nova base tecnológica, incluindo a introdução de inteligência artificial, comunicação, energia, tecnologias biológicas, nanotecnologia, o crescimento da consciência nacional, a diversidade cultural e civilizacional e outros fatores objetivos aceleram os processos de redistribuição do potencial de desenvolvimento em favor de novos centros de crescimento econômico", disse Zakharova.


O Ministro das Relações Exteriores, Serguei Lavrov, disse que o desenvolvimento de laços internacionais era uma prioridade para a Rússia.


"A Rússia vai continuando a desenvolver-se como um país amigável e aberto ao mundo inteiro. Ela buscará uma política externa independente, pragmática e amante da paz, promoverá a democratização da vida internacional e seu desenvolvimento com base nos princípios da Carta da ONU. Nossa atual presidência do BRICS e da Comunidade de Estados Independentes, nosso trabalho ativo e construtivo na UEE, na OCX, no G20 e em muitos outros formatos multilaterais visam atingir esse objetivo. Eu também gostaria de observar os laços estreitos que estamos desenvolvendo com as associações de integração regional", afirmou Lavrov.


Chang Weiwei, um dos principais especialistas em relações internacionais do Partido Comunista da China, enfatizou durante seu discurso no fórum que o conceito de um mundo unipolar está ultrapassado.


"A unipolaridade é irrelevante. Essa ordem mudará com o fortalecimento das posições internacionais da China e da Rússia e com a expansão do BRICS para incluir países do Sul e do Leste globais na aliança", disse ele.


"A multipolaridade é muito importante, pois esta oferecendo alternativas para o mundo. Nós, por sua vez, estamos ansiosos para que o Senegal faça parte do BRICS. Quanto mais cedo a aliança incluir os países que solicitaram sua adesão, tanto melhor", disse Oumy Sene, secretário-geral do Centro Cultural "Kalinka", no Senegal.


O fórum também contou com a presença do lutador de artes marciais mistas (MMA) Jeff Monson, que apoiou o aumento da cooperação entre os países do BRICS na esfera econômica.


"Se os estados do BRICS concordassem com algum tipo de moeda comum, essa seria uma solução eficaz. Ela poderia ser usada no comércio conjunto", observou Monson.


De acordo com os organizadores do evento, a plataforma foi projetada para unir intelectuais de diferentes partes do mundo que defendem uma ordem mundial multipolar baseada no respeito mútuo.


Já o Movimento Russófilo Internacional promove a riqueza cultural russa em outros países.


Fonte: TV BRICS, parceira do TODA PALAVRA

Comentarios


Divulgação venda livro darcy.png
Chamada Sons da Rússia5.jpg
bottom of page