top of page
banners dengue balde niteroi 728x90 29 2 24.jpg

Furtos de bicicleta aumentam 133% no primeiro semestre

De janeiro a junho desse ano, o furto de bicicletas em Niterói aumentou 133%, em comparação ao mesmo período de 2021. Foram 200 bikes furtadas na cidade no primeiro semestre. Os dados são do Instituto de Segurança Pública do Estado (ISP). Convidado para o programa Bom Dia Niterói, o jornalista Antonio Werneck comentou o fato e citou ainda um dos furtos recentes, ocorrido em Icaraí, a poucos metros da 77ª DP.

Divulgação

Na madrugada do dia 10 de agosto, câmeras de segurança de um prédio flagraram o momento em que um homem encapuzado acessou a garagem e furtou uma bicicleta. Antes de sair, ele cortou os fios das câmeras de segurança e dos alarmes. Outro flagrante obtido por câmeras de segurança, no dia 26 de maio, no mesmo bairro, mostrou um homem arrancando a força uma bicicleta elétrica, estacionada com uma tranca.


Niterói possui hoje uma das maiores malhas cicloviárias do país. A meta é chegar a 120km de ciclovias, com a expansão da malha para todas as regiões da cidade. A crise no preço dos combustíveis, a pandemia e também o fato de ser um veículo sustentável e saudável, contribuiram para que o niteroiense passasse a usar a bicicleta não apenas nas horas de lazer, mas como meio de transporte, sabendo que poderá pedalar em segurança nas ciclovias, sem o risco de dividir a rua com veículos automotores.

Reprodução / G1

Ainda em 2021, a Coordenadoria Niterói de Bicicleta, através de câmeras de monitoramento, fez um levantamento e concluiu que, com a criação de estruturas ciclovárias e de apoio aos ciclistas, houve um aumento considerável de bicicletas em circulação.


Os dados mostraram que em horários de pico, mais de 590 bikes passaram por hora pela Avenida Marquês do Paraná, no Centro. Em termos comparativos, a Avenida Brigadeiro Faria Lima, em São Paulo, registrou, um ano após sua inauguração, cerca de 250 bikes por hora. E a orla de Copacabana, no Rio, em dias de semana, registra cerca de 325.


A ciclovia da Avenida Amaral Peixoto, principal acesso dos ciclistas ao bicicletário da Praça Araribóia e às barcas, teve aumento de quase 250% em comparação com a primeira pesquisa, realizada em 2015. Naquele ano, eram 73 bicicletas por hora. Já em 2021, o número subiu para 256.


Com mais bicicletas em circulação, os furtos também aumentaram, como revelam os números do ISP. Consultada sobre a questão, a Prefeitura de Niterói esclarece que o patrulhamento das ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas da cidade é responsabilidade dos órgãos estaduais de segurança.


A Coordenadoria Niterói de Bicicleta, por sua vez, informa que possui uma política de instalação de paraciclos nas ruas, que oferecem aos usuários um espaço seguro e adequado para o estacionamento de bicicletas. Ressalta também a implantação do bicicletário Arariboia – que é público e gratuito, construído e mantido pela Prefeitura de Niterói – e que tem como objetivo dar segurança ao estacionamento de bicicletas no Centro.


A Coordenadoria chama a atenção dos usuários para que tenham atenção a medidas importantes que podem ajudar a garantir a segurança das bicicletas nas paradas, como usar trancas de boa qualidade e afixar adequadamente, prendendo o quadro e as rodas ao paraciclo.


Comments


Chamada Sons da Rússia5.jpg
banners dengue balde niteroi 300x250 29 2 24.jpg
Divulgação venda livro darcy.png
bottom of page