Futebol e música com críticas a Bolsonaro e Michelle marcaram a semana

Depois do discurso na ONU, na última terça-feira (22/9), o presidente Jair Bolsonaro viu-se em meio a uma enxurrada de críticas negativas vindas de diferentes setores da sociedade. Duas delas, em especial, marcaram a semana e causaram indignação à família do presidente, talvez mais pela forma do que pelo conteúdo.

Reprodução / Indecline

A primeira, uma instalação do coletivo de arte norteamericano Indeclive na periferia de SP: uma pelada onde a bola era cabeça de Jair Bolsoraro confeccionada em silicone. A segunda, uma música da banda Detonautas indagando à primeira-dama sobre os R$ 89 mil depositados por Queiroz em sua conta — pergunta feita por milhares de brasileiros, especialmente nas redes.


Chute da Liberdade


O Indeclive, em parceria com o artista plástico espanhol Eugênio Merino, criou o projeto “Freedom Kick” (chute da liberdade), com "cabeças de silicone de líderes populistas transformadas em bolas de futebol". O grupo promove partidas de futebol amador em diferentes partes do mundo, e já entraram em campo as cabeças do russo Vladimir Putin e do americano Donald Trump. No Brasil, Bolsonaro foi a "bola da vez". Assista no Instagram.


O coletivo não revela a identidade dos integrantes, mas informa que "globalmente, o futebol tem peso maior que a religião, e é uma forma de reunir as pessoas, muito importante para famílias inteiras na Europa e nas Américas Central e do Sul". Por isso o esporte foi escolhido.


Em live, antes da cirurgia para retirada de pedra na bexiga, Bolsonaro mostrou a foto de sua cabeça de silicone:


"Isso aqui é liberdade de expressão?... Se fosse o contrário, seria fake news, seria passível de cassar o mandato, de prisão, etc.", disse ele, indignado.


Hey, Michelle

Reprodução

Já o videoclipe com a música "Micheque", dos Detonautas, teve até agora 820.006 visualizações e 79 mil curtidas no Youtube, e vem causando furor nos meios bolsonaristas. Os apoiadores do presidente fazem campanha de boicote à banda nas redes.



A primeira-dama Michelle Bolsonaro prestou queixa na quinta-feira (24/9) à Polícia contra os Detonautas. Ela se diz "vítima de injúria, calúnia e difamação", quer que a música seja imediatamente removida de todas as plataformas e proibida de ser executada em qualquer lugar público ou privado. Assista no Youtube.


Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg