Gabriel e Gabrielzinho, ouro e prata na natação em Tóquio


(Reprodução)

O paulista Gabriel Bandeira e o mineiro Gabriel Geraldo Araújo, também conhecido como Gabrielzinho, conquistaram as duas primeiras medalhas para a natação brasileira na Paralimpíada de Tóquio, no Japão. Bandeira levou o ouro com o tempo de 54s76, alcançando o novo recorde paralímpico na prova de 100 metros borboleta da classe S14 (deficiência intelectual). Já a prata veio na prova dos 100m costas da classe S2 (deficiência físico-motora). Gabrielzinho fez o tempo de 2min2s47. As competições de natação são disputadas no Centro Aquático de Tóquio.

Nos 100m borboleta, atrás de Gabriel Bandeira, de 21 anos, ficou o britânico Reece Dunn, que levou medalha de prata, tendo obtido a marca de 55s12. Ele é o atual recordista mundial. O australiano Benjamin Hance ficou com o bronze, com o tempo de 56s90.

Já na classe S14, à frente de Gabriel Geraldo Araújo, de 19 anos, ficou apenas o chileno Alberto Abarza, que se tornou campeão paralímpico após atingir 2min00s40. Já o bronze quem levou foi Vladimir Danilenko, do Comitê Olímpico Russo, com a marca de 2min02s74.

Multimedalhista leva o bronze

O multimedalhista Daniel Dias e o pernambucano Phelipe Rodrigues levaram nesta quarta-feira (25) medalhas de bronze na natação. Daniel conquistou o 25º pódio paralímpico na carreira disputando a prova de 200 metros livre na classe S5 (categoria de deficiente físico-motor). O paulista obteve a marca de 2min38s61.

Já Phelipe Rodrigues competiu nos 50 metros livre da classe S10 (categoria de deficiente físico-motor), com o tempo de 23s50.

Nos 50 metros livre, a medalha de ouro ficou com o australiano Rowan Crothers, batendo a marca de 23s21. Enquanto a prata foi para o ucraniano Maksym Kripak, que fez o tempo de 23s33.

Já nos 200 metros livre, quem levou a melhor foi o italiano Francesco Bocciardo, com o tempo de 2min26s76. Enquanto a prata foi para a Espanha. Antoni Ponce Bertran colocou a medalha de prata no peito, com a marca de 2min35s20.

Outros resultados

Na classe S10 dos 50 metros livre (categoria de deficiente físico-motor), Mariana Ribeiro ficou fora do pódio. Natural de Itaboraí, no Rio de Janeiro, ela terminou na quinta colocação, com o tempo de 28s58.

Ainda pela natação feminina, a pernambucana Maria Carolina Santiago foi a sexta colocada na classe S13 (categoria de atletas com baixa visão). A paratleta, de 36 anos, disputou a prova de 100 metros borboleta e obteve o tempo de 1min7s11.

Pelo masculino, o carioca Douglas Matera competiu na classe S13 (categoria de atletas com baixa visão) na prova de 100 metros borboleta e terminou na sétima colocação. O brasileiro, de 28 anos, conseguiu o tempo de 58s53.


Fonte: Agência Brasil

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg