GM é treinada para atender mulheres vítimas de violência


Divulgação / Berg Silva

A Coordenadoria de Políticas de Direitos da Mulher (Codim) da Prefeitura de Niterói iniciou, nesta quinta-feira, 10, um curso de capacitação sobre mecanismos de proteção à mulher em situação de violência para agentes femininos da Guarda Municipal de Niterói. O Treinamento Lilás será oferecido para 120 agentes que serão capacitadas para atender as demandas de violência na cidade. O objetivo é orientar as guardas sobre o tratamento humanizado às mulheres em situação de violência e sobre a Rede de Enfrentamento à Violência contra a Mulher na cidade e os órgãos parceiros. Devido à pandemia e respeitando os protocolos sanitários, o curso será dividido em duas turmas com 60 agentes, com capacitação da primeira turma nos dias 10 e 11 de junho.

A coordenadora de Políticas de Direitos da Mulher, Fernanda Sixel, reforça que a capacitação é fundamental para aprimorar o atendimento. "O Treinamento Lilás é um dos projetos importantes da Codim. É fundamental fomentar o debate e levar conhecimento sobre feminicídio e as leis que garantem os direitos das mulheres e a nossa proteção, principalmente dentro do serviço público, sobretudo com a Guarda Municipal”, explica Fernanda. “O nosso objetivo vai além do debate. Queremos capacitá-las para um atendimento mais adequado e humanizado, além de fazer com que entendam o que se passa com a vítima, gerando uma maior sensibilização para que sempre encoraje a mulher a realizar a denúncia contra o agressor. Serão dois dias de treinamento com aulas teóricas, dinâmicas em grupo e aula de defesa pessoal”.

O secretário de Ordem Pública, Paulo Henrique Moraes, ressalta a importância de ter guardas capacitadas para enxergar situações onde muitas mulheres se sentem invisíveis ou com medo de denunciar.


"É muito importante pensarmos em parcerias entre os órgãos da Prefeitura. Treinar a equipe feminina da Guarda Municipal é essencial para que elas possam compreender e orientar da melhor forma as mulheres vítimas de violência, seja qual for. Muitas mulheres têm receio em procurar ajuda nas delegacias e acabam se sentindo invisíveis e as guardas vão poder ajudar e orientar como agir nesses casos. Niterói segue diminuindo os índices de criminalidade e precisamos estar atentos a todo tipo de violência", disse o secretário.

Além de ajudar no trato com a mulher, o curso também vai otimizar a coleta de dados a partir das anotações e autuações emitidas pelas agentes da Guarda Municipal. A partir daí, será gerado um relatório com o mapeamento das regiões onde há maior incidência de casos, horário das agressões e dia da semana em que elas ocorrem, na tentativa de extrair o fator gerador da discussão (reincidência de agressão). O curso conta com certificação e será dividido em módulos com palestras, vídeos, debates e aula de defesa pessoal. “O treinamento é um desejo antigo da Guarda Municipal de Niterói, já que são frequentes os atendimentos às mulheres vítimas de violência. Sabemos que cresceu muito o número de mulheres agredidas na pandemia e, muitas vezes, elas não dependem apenas da delegacia, mas também de um apoio psicológico e até mesmo socioassistencial, que ela encontra em determinados órgãos municipais como o Ceam. É importante que nós, que estamos nas ruas, saibamos a existência desses locais e o que cada um deles pode fazer por essa mulher, fortalecendo a rede de apoio já estruturada para auxiliá-la”, disse Vanessa Herval, 29 anos, que atua há seis anos como guarda municipal na cidade.


Mediação de conflito escolar

Agentes da Guarda Civil Municipal de Niterói também receberam na quarta-feira, 9, instruções sobre mediação de conflito escolar. A capacitação foi promovida pela Secretaria de Direitos Humanos (SMDH), através do projeto da Rede Mediar. O encontro capacitou 35 guardas para um melhor atendimento às demandas das escolas do município.


Dirigida pela gerente da Rede Mediar, Joana Raphael, a capacitação ocorreu durante toda a manhã e teve direito a dinâmica de grupo.


"Preparar, cada vez mais, quem trabalha na linha de frente nas escolas, em contato direto com as nossas crianças, é importante para diminuir alguns índices negativos como, por exemplo, o processo de evasão escolar. Nesse sentido, qualificar o serviço dos guardas na resolução de conflitos é fundamental, pois muitas vezes eles são os primeiros a chegar no local quando surgem problemas com alunos", salientou Joana.


Nas palavras do coordenador de Patrulhamento Escolar, GCM Macedo, o encontro marca um importante passo na busca por uma equipe mais preparada no retorno às aulas. "Com o retorno gradativo dos alunos para nossa rede municipal de ensino é necessário agregar mais ao serviço de patrulhamento escolar. A ideia é que tenhamos profissionais cada vez mais qualificados para os novos desafios que o cenário de pandemia gerou", pontuou Macedo.


Animado com os rumos do projeto de mediação de conflitos no município, o Secretário de Direitos Humanos, Raphael Costa, também compareceu ao treinamento.


"Acho importante capacitar quem está na ponta, diretamente ligado ao conflito. A cidade de Niterói tem orgulho e muito respeito pela sua Guarda. A Rede Mediar veio para ajudar na mediação e resolução dos problemas e estamos muito contentes em trabalhar junto com diversos órgãos da prefeitura para melhorar o serviço prestado", pontuou o secretário.


Rede Mediar - No dia 23 de março, a Secretaria Municipal de Direitos Humanos de Niterói inaugurou o Espaço Mediar com a proposta de ser um local de referência para os cidadãos que buscam a solução de conflitos por meio do diálogo e da mediação de facilitadores capacitados. No Brasil, Niterói é um dos municípios pioneiros na implementação da mediação como Política Pública. A Rede Mediar tem como objetivo reduzir os registros de ameaça e lesão corporal dolosa, evitar a judicialização de litígios e contribuir para uma cultura de paz. O papel dos mediadores é ser imparcial, não opinar, não julg

Ganhe_Ate_300x250px.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
Aumentou_728x90px.gif