Governo descumpre promessa e não paga retroativo do Auxílio


(Foto: Secom/Governo Federal)

O governo federal não vai honrar o compromisso de pagar de forma retroativa o valor restante do Auxílio Brasil para que o benefício alcance os prometidos R$ 400 a partir de novembro. A informação foi confirmada na terça-feira (18) pelo ministro da Cidadania, João Roma, ao portal Uol.

"Não, infelizmente [não vai pagar o retroativo de novembro]. A tramitação da PEC [dos precatórios] só se concluiu em dezembro", afirmou Roma.

O ministro disse que o valor mínimo de R$ 400 foi pago em dezembro. A partir de janeiro, mais de três milhões de famílias entraram ou reingressaram no programa. Com isso, o programa que substituiu o Bolsa Família agora contempla cerca de 17 milhões de famílias, de acordo com o ministro.

O benefício foi viabilizado pela PEC (Proposta de Emenda à Constituição) dos Precatórios, enviada pelo governo e aprovada pelo Congresso Nacional, em 16 de dezembro do ano passado.

Com o furo no teto dos gastos públicos e o adiamento do pagamento de precatórios, a PEC gerou espaço para o governo oferecer os R$ 400. Porém, o artifício garante o pagamento do valor apenas até o final de 2022, ano em que o presidente Jair Bolsonaro (PL) tentará se reeleger - com as pesquisas apontando o pior nível de avaliação de seu governo.

300x250px.gif
728x90px.gif