Governo deve anunciar uma nova 'facada' na conta de luz


(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Para quem acha que a conta de luz está cara demais, é bom se preparar para uma nova "facada". Até terça-feira, o governo federal deve anunciar um novo aumento entre 50% e 58% na bandeira vermelha 2, patamar mais elevado do sistema. Portanto, a sobretaxa de R$ 9,49, que as famílias pagam atualmente por cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumido, irá aumentar para até R$ 15 a partir de setembro, de acordo com a decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O último aumento da bandeira foi no mês passado, de 52%.

A disparada do valor da bandeira é justificada pelo governo pela alta no custo da geração de energia devido à crise hídrica, que vem deixando o nível dos reservatórios das hidrelétricas muito abaixo do normal. A bandeira tarifária é um adicional cobrado nas contas de luz para cobrir esse custo.

A região Centro-Sul do Brasil, responsável pelo maior volume de energia gerado pelas hidrelétricas, passa pela pior seca dos últimos 91 anos, segundo o governo. Isso faz com que o governo acione as termelétricas a gás, óleo e carvão, que são mais caras.

Apesar de o governo evitar o termo "racionamento" - que tem um ônus político mais alto -, esta semana o presidente Jair Bolsonaro mencionou que a população deveria apagar "um ponto de luz" no consumo diário em suas casas.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg