top of page
banners dengue balde niteroi 728x90 29 2 24.jpg

Governo russo analisa iniciativa de paz proposta pelo Brasil


(Foto: Ricardo Stuckert/PR)

Em entrevista concedida à mídia russa, o vice-ministro das Relações Exteriores Mikhail Galuzin disse que Moscou está avaliando a proposta apresentada pelo presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, para a resolução do conflito na Ucrânia.


Galuzin frisou que a opinião do Brasil é importante para a Rússia, tendo em vista a parceria entre os dois países tanto no cenário bilateral quanto mundial. O diplomata destacou a boa relação entre os países no BRICS, no G20 e na Organização das Nações Unidas (ONU).


“Nós tomamos nota das declarações do presidente do Brasil em relação a uma possível mediação para encontrar caminhos políticos para prevenir uma escalada de violência na Ucrânia, corrigindo erros de cálculo no campo da segurança internacional nas bases do multilateralismo e considerando os interesses de todos”, disse Galuzin à agência de notícias russa Tass. “Estamos examinando as iniciativas, principalmente do ponto de vista da política equilibrada do Brasil e, é claro, levando em consideração a situação ‘em campo’”, completou.


Lula tem defendido a necessidade de se criar um grupo de países que não estão envolvidos no conflito para encontrar "possibilidades de fazer a paz", e, inclusive, se negou a enviar munição para tanques do exército ucraniano. Mesmo com pressão do Ocidente para enviar armamentos e munições, Brasília mantém a posição neutra. Em encontro com o presidente dos EUA, Joe Biden, em Washington, Lula pregou a criação do grupo e defendeu a presença da China nesse espaço.


O vice-ministro russo destacou ainda a boa relação com o Brasil, com quem a Rússia tem laços mais estreitos no G20 e no Brics, este último um bloco econômico composto, além dos dois países, apenas por China, Índia e África do Sul. Ao mesmo tempo, elogiou a postura considerada firme de Lula a não ceder aos apelos dos Estados Unidos para enviar munição aos ucranianos. “Estamos vendo como Washington está colocando pressão no Brasil. Tamanha postura de soberania merece respeito”.


Lula deve telefonar nos próximos dias para o presidente da Ucrânia, Vladimir Zelensky, em meio ao seu esforço de mediar o conflito. Além disso, ele deve receber o chanceler russo, Sergei Lavrov, em abril.


China pode apresentar plano de paz

Na sexta-feira (24), a China vai apresentar uma posição consolidada sobre o conflito ucraniano, e a expectativa é que Pequim traga um plano de paz. No sábado passado (18), Wang Yi, diretor do Gabinete da Comissão Central de Relações Exteriores do Partido Comunista da China, disse que, mesmo nas situações mais difíceis, "a paz deve ter uma chance". Ele observou que o documento será baseado nas propostas do presidente chinês, Xi Jinping, para restaurar a paz.


Os EUA afirmaram que só vão se manifestar sobre a proposta após obterem informações relativas aos termos.


Com a Agência Sputnik

Comments


Chamada Sons da Rússia5.jpg
banners dengue balde niteroi 300x250 29 2 24.jpg
Divulgação venda livro darcy.png
bottom of page