Greve no BRT coloca o Rio em estágio de atenção


Motoristas do BRT entraram em greve no primeiro minuto da madrugada desta segunda-feira (Foto: Reprodução)

A concessionária que opera o sistema do BRT informou que as empresas estão sem dinheiro em caixa para pagar os funcionários, que iniciaram uma paralisação nesta segunda-feira (1°).

Os serviços do BRT, importante sistema de ônibus articulados da Zona Leste do Rio de Janeiro, não estão funcionando desde o fim da madrugada desta segunda-feira (1º). Devido a uma paralisação dos motoristas, quase todas as estações dos três corredores permaneceram fechadas.

Em função dos impactos na mobilidade, o Centro de Operações Rio informou que a cidade entrou em estágio de atenção às 6h30. Este é o terceiro nível em uma escala de cinco, com riscos de ocorrências em diferentes regiões.

O consórcio que opera o transporte afirma que as empresas atravessam um momento de grave crise financeira, que ficou pior com a pandemia e a queda no volume de passageiros. Com isso, os funcionários não estariam recebendo seus salários.

"Chegamos no limite. Hoje, não há dinheiro em caixa do BRT, e estamos diante da incapacidade de honrar o pagamento daqueles que fazem o BRT funcionar", disse o presidente do BRT, Luiz Martins, conforme noticiou o portal G1 no último final de semana.

Solução momentânea

Os moradores da cidade que habitualmente utilizam o BRT tiveram que encontrar outras maneiras para o deslocamento nesta manhã de segunda-feira (1°). Uma opção são os ônibus regulares, que tentam atender a população nos pontos do BRT. De acordo com o G1, porém, foram formadas filas enormes nos locais e muitas pessoas não usavam máscara.

Fila e aglomeração na falta de BRT, na Zona Oeste do Rio de Janeiro (Reprodução)

Outra saída é pegar ônibus executivos, que custam R$ 17, valor quatro vezes maior que a tarifa básica do BRT, que hoje é de R$ 4,05. A procura por vans e aplicativos de transporte também aumentou.

O sistema Bus Rapid Transit (BRT) do Rio possui um total de três corredores com vias exclusivas para ônibus articulados. Em cada uma das estações, os passageiros pagam a tarifa de R$ 4,05 para embarcar.

O corredor Transoeste cruza a Zona Oeste, ligando Santa Cruz e Campo Grande à região da Barra da Tijuca, passando por Guaratiba e Recreio dos Bandeirantes.

A Transcarioca, por sua vez, conecta o Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão) à Barra da Tijuca pela Zona Norte. Já a Transolímpica une Deodoro à Barra.

 Conheça a nova Scooter Elétrica

Não precisa de CNH, sem placa e sem IPVA

Leia também:

Editor Responsável: Luiz Augusto Erthal.

Redação e Comercial: Rua Santa Clara, 32, Ponta d'Areia, Niterói, RJ

CEP 24040-050 | (21) 2618-2972 | jornaltodapalavra@gmail.com

Os conceitos emitidos nas matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião do jornal. As colaborações, eventuais ou regulares, são feitas em caráter voluntário e aceitas pelo jornal sem qualquer compromisso trabalhista. © 2016 Mídia Express Comunicação.

A equipe

Editor Executivo: Luiz Augusto Erthal. Editor Rio: Vanderlei Borges. Editor Niterói: José Messias Xavier. Editores Assistentes: Apio Gomes e Osvaldo Maneschy. Editor de Arte: Augusto Erthal. Financeiro: Márcia Queiroz Erthal. Circulação, Divulgação e logística: Ernesto Guadalupe.

Uma publicação de Mídia Express 
Comunicação e Comércio Ltda.
Rua Santa Clara, 32, Ponta d’Areia, Niterói, Est. do Rio,

Cep 24040-050. 
Tel.: (21) 2618-297

jornaltodapalavra@gmail.com

  • contact_email_red-128
  • Facebook - White Circle
  • Twitter - White Circle