Grupos bolsonaristas financiam atos de 7 de setembro


Jair Bolsonaro durante o ato "Acelera para Cristo" realizado em São Paulo em junho deste ano (Foto: PR)

Grupos bolsonaristas estão se estruturando financeiramente para financiar os atos de 7 de setembro em favor do presidente Jair Bolsonaro. Pelo menos nove contas bancárias estariam sendo mantidas por esse objetivo, em meio às ofensivas de Bolsonaro contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Os recursos são destinados até para alugar helicópteros, segundo revelou o portal UOL.

Os apoiadores do presidente dizem que as manifestações são democráticas e que não visam a um golpe de Estado, mas o próprio presidente fala em "enquadrar" ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e em "ruptura" .

Segundo a Procuradoria Geral da República (PGR) e a Polícia Federal (PF), o financiamento de manifestações é legal no regime democrático, mas quando o objetivo é praticar algum crime se torna ilícito.

Os valores arrecadados pelas contas das redes bolsonaristas não foram revelados, mas os recursos devem ser destinados para contratar ônibus, banheiros químicos, comprar faixas, cartazes, instalar uma cozinha comunitária e pagar alimentação e energia, além de aluguel de helicópteros.

O grupo de Zé Trovão, caminhoneiro que convoca a população para os atos e pede o "impeachment" dos 11 ministros do STF, disse que espera ter 500 mil pessoas em Brasília e 1 milhão em São Paulo. Já o Movimento Nas Ruas prevê uma manifestação maior do que as que pediram o impeachment de Dilma Rousseff (PT).

Em 26 de agosto, a Polícia Federal flagrou, no aeroporto de Congonhas (SP), o prefeito de Cerro Grande do Sul, Gilmar João Alba (PSL), com R$ 505 mil escondidos em caixas de papelão dentro da bagagem de mão do passageiro. O dinheiro foi apreendido pela corporação, e membros da CPI da Covid suspeitam que seria usado para financiar os atos de 7 de setembro. O prefeito disse que o dinheiro era dele e seria usado em “oportunidades de negócios”.

Outra estratégia que vem sendo utilizada por bolsonaristas para convocar apoiadores do governo para os atos é o impulsionamento artificial nas redes sociais. A conclusão é da análise feita pelo UOL a partir de 332.927 tweets e retweets com hashtags dos atos. De acordo com o portal, o Twitter afirmou a retirada de cerca de 100 perfis da rede por "violações à sua política contra spam e manipulação”.

"Fora, Bolsonaro"

Manifestações #ForaBolsonaro e Grito dos Excluídos estão previstas para acontecer, também no Dia da Independência, em mais de 190 cidades brasileiras e do exterior. Esses eventos estão sendo convocados por centrais sindicais, movimentos sociais, entidades de direitos humanos, entre outros.

vila_de_melgaco.jpg
Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3