Guedes chama ministro-astronauta de 'burro'


Paulo Guedes, ministro da Economia, e Marcos Pontes, ministro da Ciência e Tecnologia (Fotos: Agência Brasil)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, se referiu ao ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, como “burro” durante reunião que discutia os R$ 600 milhões de recursos que foram retirados da pasta.

Durante encontro com integrantes da comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Deputados, na qual foi chamado para esclarecer o esvaziamento financeiro da pasta comandada pelo ex-astronauta, Guedes disse aos deputados que há muita incompetência na gestão do dinheiro público no atual governo. Segundo ele, há ministros que não executam os recursos que estão disponíveis e deixam os valores parados, sem utilização. Guedes também afirmou que "às vezes se pergunta" o que está fazendo no governo Bolsonaro. As informações são da Folha de S. Paulo.

Deputados da comissão travam uma luta para recuperar os R$ 600 milhões retirados da área de ciência.

Guedes afirmou que é a favor de investimento no setor, mas, segundo disse em tom de deboche, o dinheiro foi parar em ‘foguetes’. Nesse momento, usou a palavra "burro" para classificar o ministro-astronauta, dando ainda a entender, por suas palavras, que o colega de Esplanada vive no "espaço" e não entende de gestão - ou seja, incompetente para o cargo.

Segundo a coluna Painel, da “Folha de S. Paulo”, o nome de Pontes não foi citado, apenas o apelido de “astronauta”.

Sob ameaça de demissão na semana passada após uma debandada de quatro secretários do ministério, Guedes disse que tentaram derrubá-lo e que a todo momento tentam culpá-lo pelos fracassos do governo.

O ministro afirmou que “não é político, nem nunca foi” e que quem decide para onde vai o dinheiro é a Casa Civil, comandada hoje pelo senador licenciado Ciro Nogueira (PP-PI), que disse ser responsável por colocar ou tirar recursos das pastas.

300x250px.gif
728x90px.gif