Hemorio lança campanha de carnaval 'Você Faz Meu Tipo'

O Instituto Estadual de Hematologia Arthur de Siqueira Cavalcanti (Hemorio) lança nesta sexta-feira, dia 25/2, a primeira etapa da campanha Você Faz Meu Tipo, com objetivo de atrair doadores de sangue durante o carnaval. A iniciativa vai contar com o apoio do Tinder, que irá incentivar os membros do aplicativo de relacionamento no Rio de Janeiro a darem match com o perfil do hemocentro. O objetivo é alertar de forma divertida sobre a importância das doações por meio de frases como “se você ama a vida e quer que outros tenham a chance de viver ao máximo também, você faz muito meu tipo”.

Reprodução

A campanha também vai informar que, a partir de março, pessoas que tenham se tatuado ou colocado piercing poderão doar sangue 6 meses após o procedimento, em vez dos 12 meses da regra anterior. A nova norma, no entanto, não vale para os que usam piercing na região oral ou genital, que continuam impedidos de doar enquanto usarem a peça.


"Estamos muito animados com essa campanha e em comunicar essa novidade aos moradores do Rio de Janeiro. Tenho certeza de que era uma mudança muito aguardada por nossos doadores e agora, após todos os estudos necessários, podemos anunciar com segurança. Espero com isso que muitos novos doadores possam nos visitar e fazer a diferença para tantos que precisam", explicou o diretor geral do Hemorio, Luiz Amorim.


A campanha coloca o Hemorio na posição de primeiro órgão público a ter um perfil no aplicativo que possui mais de 9 milhões de usuários no Brasil, número que aumenta diariamente.


Até o dia 1º de março, o Hemorio vai presentear os que comparecerem com surpresas que remetem à energia e à alegria do carnaval.


Segundo o Ministério da Saúde, o carnaval é um período em que ocorre uma baixa de até 20% nos estoques disponíveis para transfusões. Além disso, a demanda por bolsas de sangue aumenta devido ao maior número de acidentes na cidade durante as festividades.


De acordo com os parâmetros da Organização Mundial de Saúde (OMS), para manter os estoques regulares é preciso que 1,5% a 3% da população doe regularmente. O Brasil tem hoje 1,8% de doadores. Em todo país são coletadas, por ano, uma média de 3,5 milhões de bolsas de sangue.


Somente em janeiro deste ano, por conta da pandemia, epidemia de gripe e fortes chuvas, o Hemorio registrou queda de mais de mil bolsas de sangue em relação ao mesmo período de 2021.


A doação é fundamental para garantir suporte às principais emergências, maternidades e unidades de saúde do estado do Rio.


O atendimento no Hemorio não será alterado nos dias de carnaval. O hemocentro manterá seu funcionamento de segunda a segunda, incluindo os feriados, das 7h às 18h.

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

Quem pode doar


Para doar sangue, é preciso ter entre 16 e 69 anos, pesar no mínimo 50 kg, estar bem de saúde e portar um documento de identidade oficial com foto. Jovens com 16 e 17 anos só podem doar sangue com autorização dos pais ou responsáveis legais. Devem portar ainda um documento de identidade do responsável. Não é necessário estar em jejum, apenas evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes.


Os voluntários não podem ter tido hepatite após os 10 anos, nem estar expostos a doenças transmissíveis pelo sangue (sífilis, AIDS, hepatite e doenças de Chagas). Mulheres grávidas ou amamentando e usuários de drogas não podem doar sangue. Além disso, quem foi infectado pela Covid-19 pode doar após 10 dias do desaparecimento dos sintomas e quem já recebeu a vacina pode doar após sete dias (48h em caso de Coronavac).


Para mais detalhes ou informações, o doador pode consultar as redes sociais do Hemorio (@hemorio) ou ligar para o Disque Sangue de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 7h às 17h, através do número 0800 282 0708.


Fonte: Núcleo de Imprensa do Governo do Estado do Rio de Janeiro

vila_de_melgaco.jpg
Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3