Imagens a serem deletadas de um ano que não deixa saudades



Inflação, fome, negacionismo e golpismo: uma retrospectiva de 2021 a partir das matérias do TODA PALAVRA. Que venha 2022 e seja o ano da virada

Poucas viradas de ano despertaram tanto desejo de mudança como agora. O ano de 2021 trouxe imagens que o povo brasileiro deseja apagar da memória, como o drama da fome, a disparada dos preços e da inflação e as ameaças de ruptura da democracia protagonizadas pelo próprio presidente da República - tudo isso somado à luta desesperada contra o negacionismo e a pandemia da covid, que vai para o seu segundo ano.

Ao longo do ano, o TODA PALAVRA acompanhou em suas edições digitais diárias pela internet os fatos da política e da economia nacional; registrou os avanços científicos na pandemia; prestou serviços à população sobre as ações locais de enfrentamento à covid-19, divulgou informações de utilidade pública, e tratou de temas sensíveis como racismo, preconceito, abuso sexual, violência doméstica, intolerância religiosa, injustiça social, entre outros — sempre com o compromisso de informar cada vez melhor o leitor.

A versão impressa, que se mantém como 'pièce de résistance' em Niterói, traz nesta sua última edição do ano uma retrospectiva do noticiário mais amplo do jornal, reunindo um resumo das matérias mais importantes publicadas em 2021 no portal www.todapalavra.info.

Negacionismo versus ações concretas

Campanha de vacinação contra covid

A pandemia e a vacinação contra a covid-19 no país e em Niterói foram os assuntos que mais ocuparam as páginas do TODA PALAVRA online este ano. Na esfera nacional, grande parte das notícias girou em torno do negacionismo do governo Bolsonaro, a falta de coordenação nas ações do ministério da Saúde, os escândalos de corrupção na compra de vacinas que resultaram na realização de uma CPI no Senado, e ainda as declarações irresponsáveis do presidente e de seus apoiadores, desqualificando imunizantes, máscaras e distanciamento social.

A onda negacionista provocada por Bolsonaro virou marola em Niterói. Manifestações pontuais pela abertura do comércio em plena pandemia e alguns protestos antivacina em forma de carreata foram registrados pelo portal, assim como a postura de alguns poucos políticos da cidade contrários às medidas sanitárias. Foi o caso do vereador Douglas Gomes (PTC), que em 10/2 se negou a usar máscara nas dependências da Câmara Municipal, infringindo a regra da casa, fazendo ameaças à imprensa e causando grande desconforto aos demais integrantes do legislativo contrários a esse comportamento.

Mas a grande parte do conteúdo local publicado no TP sobre a pandemia foi de utilidade pública, com matérias orientando a população sobre pontos de vacinação, sobre os indicadores de risco e ações de enfrentamento à doença no município. O TODA PALAVRA apoiou as ações da prefeitura contra a covid, mas deu voz aos discordantes. Em abril, quando o Sepe RJ (Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação) deflagrou uma greve de professores em Niterói contra a abertura das escolas sem que todos os profissionais de educação estivessem totalmente vacinados, o TP publicou uma série de matérias debatendo a questão, ouvindo o sindicato, os professores e a comunidade escolar sobre os riscos das aulas presenciais e sobre a falta de estrutura para o ensino remoto.

Por outro lado, questões como a perda no aprendizado, os prejuízo com a falta do convívio na escola, a fragilidade emocional dos jovens diante da pandemia, a evasão escolar e a falta de perspectiva dos adolescentes não foram esquecidas pelo portal.

Cuidados especiais foram adotados para a volta às aulas na cidade

Auxílio e emprego


Brizola Neto assumiu a coordenadoria de Trabalho e Renda em Niterói

As matérias do TP orientaram os leitores de Niterói sobre projetos de apoio social e econômico da prefeitura durante a pandemia, fornecendo informações para facilitar o acesso dos postulantes a benefícios como o Renda Básica Temporária, e a programas de crédito para micro e pequenas empresas, como o Programa Empresa Cidadã e o Supera Mais Ágil.

O portal vem publicando informações sobre os impactos da crise econômica no mercado de trabalho da cidade, mostrando também as alternativas. Entre elas, a instalação de um posto do SINE (Sistema Nacional de Emprego) em Niterói — que o TP noticiou com exclusividade — o apoio ao empreendedorismo local, além de ações da Coordenadoria de Trabalho, Emprego e Renda na captação de vagas para trabalhadores da cidade. Com a chegada do SINE, o município passou a contar com um banco de vagas de empregos formais na própria região, oferecendo também prestação de serviços ao trabalhador, como o pedido do auxílio desemprego, além de capacitação profissional em áreas de maior demanda.

O combate ao desemprego em Niterói integra o projeto de 'Retomada Econômica' — acompanhada de perto pelo jornal — com a abertura de frentes geradoras de postos de trabalho, entre elas a realização de obras públicas capazes de produzir respostas mais imediatas em termos de empregabilidade.

Programas emergenciais mantidos por Axel para apoiar empresas e vulneráveis ajudaram a economia local

Perdas e ganhos


Notícias gerais de cunho científico, pesquisas acadêmicas brasileiras e estrangeiras validadas, e descobertas da medicina sobre o novo coronavírus foram destaque ao longo do ano, sempre com o intuito de fornecer informações confiáveis sobre a doença e sua evolução. A chegada da vacina e a execução do programa de imunização no país, ainda que com muitas controvérsias e contradições, trouxeram mais esperança, porém, foram muitas as perdas para a doença. O TP noticiou com pesar.

A mais emblemática foi a morte do ator e comediante niteroiense Paulo Gustavo, n dia 4/5, que teve grande repercussão nacional. O artista que levou o nome da cidade para o mundo em seus filmes foi homenageado com duas esculturas no Campo de São Bento, inauguradas no dia 22/11, durante as comemorações dos 448 anos da cidade. Outra das muitas perdas que causaram tristeza à população foi a do vereador Renatinho do PSOL, um grande defensor dos direitos dos mais pobres, que partiu no dia 18/3. O TP registrou as homenagens a Renatinho, entre elas a instalação de uma placa na esquina das ruas Gavião Peixoto e Pereira da Silva, onde ele trabalhava vendendo panos de prato, local que nunca deixou, mesmo depois de assumir o cargo na Câmara.

Na cultura, enquanto o noticiário nacional do TP dava conta de polêmicas como a demonização de obras literárias e seus autores na Fundação Palmares, a destruição dos mecanismos de investimentos para as artes, ou o descaso com órgãos de preservação da memória brasileira, as matérias locais foram mais animadoras.

Secretário das Culturas, Leonardo Giordano, lançou editais de apoio ao setor cultural

O portal cobriu as ações da Secretaria das Culturas em seu plano de 'Retomada Cultural', com a publicação de editais, chamadas e apoio a artistas e produtores culturais da cidade. O portal destacou ainda a agenda de espetáculos, que até meados do ano aconteciam de forma virtual e, aos poucos, tornaram-se presenciais, dentro das limitações de público e das regras sanitárias vigentes.

Com o avanço da vacinação, a cidade voltou a abrir as casas de shows, cinemas e teatros, e neste fim de ano a prefeitura montou uma agenda variada de atrações gratuitas com música, teatro, programação infantil e atividades culturais para todos os gostos. Sem a tradicional queima de fogos e shows ao ar livre, as comemorações de virada de ano ficaram mais discretas, com a chegada ao país da nova variante Ômicron. Mas a pandemia não tirou o brilho do Natal em Niterói, reportado pelo TP com suas luzes, cores e formas simbolizando a esperança por dias melhores.


Educação e inclusão


Na educação em âmbito nacional, o TP noticiou tudo o que não foi feito pelo ministro-pastor Milton Ribeiro, culminando com a debandada de funcionários do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) às vésperas das provas do Enem, e com a triste marca de menor participação de estudantes no exame desde 2005.

Professores contra iniciativa da SME - por fim abandonada - que extinguia a eleição direta de diretores de escolas

Em Niterói, o destaque no TP foi a polêmica criada por um edital lançado pela secretaria e fundação de Educação municipais (SME/FME) para a escolha de diretores das escolas da rede pública de ensino. A introdução de uma nova regra instituindo uma banca externa para avaliar os planos de gestão dos candidatos ao cargo desagradou professores, pedagogos, sindicato da classe e a comunidade escolar em geral, que repentinamente se viu excluída do processo.

O TP acompanhou passo a passo as negociações entre a categoria e o secretário Vinicius Wu, os debates em audiência pública na Câmara e o acordo final firmado entre as partes, com a retirada da banca externa e a volta das eleições diretas ao processo de escolha de diretores de escolas municipais.


Evento lembrou o centenário de Paulo Freire

O TODA PALAVRA não deixou passar em branco o centenário de Paulo Freire, Patrono da Educação Brasileira, comemorado no dia 19/9. O portal de notícias de Niterói realizou uma aula pública coletiva no Campo de São Bento em tributo ao educador, que é um dos pensadores mais respeitados na pedagogia internacional e autor do livro 'Pedagogia do Oprimido'.

O evento contou com a participação de Waldeck Carneiro, Flavio Serafini, Godofredo Pinto, Raphael Costa, Greyce Kelly Almeida, Lívia Ribeiro, e Maria Felisberta Trindade, professora emérita da UFF e ex-secretária de educação que faleceu pouco depois do evento, aos 91 anos, no dia 13/11, fato que o portal lamentou ao noticiar.


Corrupção e desmonte


Na política nacional, os fatos vieram em turbilhão. Os escândalos envolvendo a família presidencial; o caso das rachadinhas nos gabinetes dos filhos e do próprio Bolsonaro; o aparelhamento dos órgãos públicos que contaminou até mesmo o judiciário; a interferência do governo na Polícia Federal e em órgãos de investigação para blindar os próprios ilícitos; a 'dobradinha' com o Procurador-Geral da República, Augusto Aras, no arquivamento de processos; a incitação de apoiadores contra o Supremo Tribunal Federal; a campanha contra as urnas eletrônicas; o 'casamento' de papel passado com o Centrão; a farra das emendas; a compra de votos e as manobras dos bolsonaristas no Congresso para tapar o furo no teto de gastos do Orçamento foram assuntos de repercussão esse ano no TP.

O 'vai e vem' do auxílio emergencial e os tropeços na criação do novo Auxílio Brasil em substituição ao Bolsa Família, também foram repercutidos. Da mesma forma, o 'esquenta' para as eleições presidenciais no ano que vem, com Bolsonaro em queda vertiginosa nas pesquisas e índices de rejeição cada vez maiores. E ainda a tentativa desesperada da burguesia e do mercado para emplacar uma 'terceira via'.

Mas não foi só isso. Teve também a efetivação do desmonte dos órgãos do meio ambiente, cultura, educação e pesquisa; a implantação de uma diplomacia ideológica e teocrática; os arroubos de autoritarismo sobre a autonomia dos estados e municípios; a perseguição a opositores e jornalistas; e a vergonha internacional com a falta de educação, cultura e compostura do mandatário do país. Tudo isso foi matéria esse ano no TP.


Eleições 2022


Pré-candidato a presidente pelo PDT, Ciro Gomes veio a Niterói

Em Niterói, um dos fatos políticos de maior destaque foi a homenagem a Ciro Gomes, pré-candidato do PDT à presidência, na Câmara de Niterói, com a entrega da medalha José Clemente Pereira. A solenidade realizada no dia 12/7 reuniu políticos, autoridades, estudantes e trabalhistas no plenário, quando o título de cidadão niteroiense foi outorgado ao presidente do partido, Carlos Lupi.

O vídeo que registra o discurso de Ciro, que falou sobre o seu projeto de desenvolvimento para o país, foi o mais visualizado nas redes sociais do TP, com mais de quatro mil acessos. O lançamento da pré-candidatura de Rodrigo Neves, ex-prefeito de Niterói, ao governo do estado também foi manchete no portal, que já começou a acompanhar a movimentação em torno das próximas eleições para governador no Rio.


Meio ambiente


No meio ambiente, o TP mostrou o esforço do governo federal para mascarar os números da devastação, as falas mentirosas e os argumentos sem base científica de Bolsonaro nos eventos internacionais, assim como o abandono e o desrespeito aos povos da floresta. O sucateamento dos órgãos de fiscalização, a cumplicidade com garimpeiros, madeireiros e criminosos ambientais, além da corrupção do ex-ministro Ricardo Salles. Tudo isso foi notícia.

Praia do Sossego ganhou a Bandeira Azul

O contraponto veio de Niterói, que trata essa questão como prioridade. As ações de replantio nas restingas e encostas, a criação do Parque Natural Municipal Floresta do Baldeador, os investimentos na ampliação da malha cicloviária e o compromisso em reduzir as emissões de carbono foram alguns dos fatos locais na cobertura do TP sobre o tema. A conquista da ‘Bandeira Azul’ para a Praia do Sossego, em Piratininga, também ganhou destaque no TP. É a maior premiação internacional global já dedicada à certificação de gestão de praias, com a chancela da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

A participação do prefeito Axel Grael na COP26, representando a Frente Nacional de Prefeitos — da qual ele é vice-presidente — e apresentando as experiências de sucesso na área de sustentabilidade em Niterói foi um dos fatos marcantes do ano publicados pelo portal.

Economia


Os desastres da política econômica de Paulo Guedes figuraram o ano inteiro nas páginas do site. O jornal vem acompanhando o drama da volta da fome e da insegurança alimentar, que atinge cada vez mais brasileiros, e que tem levado os vulneráveis à 'fila do osso'. Os números recordes de desempregados e desalentados, a precarização do trabalho, o crescimento das atividades informais e o endividamento das famílias também foram registrados nas páginas do portal.

Aumento dos combustíveis ajudou a puxar a inflação

A inflação, o aumento dos combustíveis, o altíssimo lucro dos bancos e conglomerados empresariais, a alta do dólar e a dilapidação do patrimônio nacional, a privatização (leia-se liquidação) de empresas estratégicas para 'fazer caixa rápido' continuam entre os principais assuntos diários. A política de preços do petróleo atrelada ao dólar, a entrega 'de mão beijada' dos ativos da Petrobras e o favorecimento de acionistas em detrimento dos interesses soberanos do país, foram algumas das 'maldades' do governo com o povo brasileiro que o TP não deixou de informar.

Na esfera municipal, uma das matérias de destaque na área foi sobre o movimento Economia Solidária (EcoSol), que teve suas origens em comunidades como o Preventório, sede do banco social e da moeda Prevê, e que serviu de inspiração à prefeitura na criação do Banco Social e da moeda Araribóia. O TODA PALAVRA ouviu as críticas ao projeto municipal feitas pelos integrantes do movimento EcoSol, que elogiaram a iniciativa da prefeitura, mas na época lamentaram a falta de uma participação maior da comunidade na elaboração do projeto.

Segurança pública


Na área da segurança pública, o TODA PALAVRA começou o ano de 2021 noticiando a morte de uma menina de 5 anos, no Morro do Turano, no Rio, por um disparo de autoria não identificada feito durante a queima de fogos na virada. As chamadas 'balas perdidas', acionadas por mãos que apertam gatilhos de armas de fogo, mas que, na maioria das vezes ninguém consegue identificar de onde vêm, foram notícia ao longo de todo o ano.

Nove corpos foram retirados de manguezal em São Gonçalo, após ação da PM

No Leste Fluminense, a cidade de São Gonçalo teve vários desses episódios. Trabalhadores, mulheres, crianças, idosos e moradores dentro de suas próprias casas foram vítimas, fatais ou não, de tiros que tanto podem ter origem nos confrontos entre policiais e bandidos, ou partiram da própria truculência policial em operações nas comunidades.

Ao longo de 2021, São Gonçalo foi palco de vários tiroteios, muitos deles no Complexo do Salgueiro, onde no dia 22/11 os moradores encontraram nove corpos no manguezal. Dentre os mortos, quatro não tinham passagem pela polícia. A chacina teria sido uma vingança ao assassinato de um policial ocorrido dois dias antes, conforme afirmou a deputada Renata Souza (PSOL) em representação feita ao Ministério Público (MPRJ) e em matéria no portal TODA PALAVRA.

No dia 24 do mesmo mês, o TP noticiou mais um caso polêmico de operação da PM. Desta vez, em Niterói, no Morro do Palácio. O motoboy Elias de Lima Oliveira foi morto em uma ação considerada desproporcional por moradores da comunidade e familiares da vítima.


Matheus, assassino de Vitórya Melissa

Nas páginas policiais do site, outro crime causou grande repercussão em Niterói. A morte da estudante Vitórya Melissa Mota, de 22 anos, assassinada a facadas no dia 2/6 por Matheus dos Santos da Silva na praça de alimentação do shopping mais movimentado da cidade. As atualizações do caso do 'Feminicida do Plaza' vêm sendo publicadas periodicamente no portal e a última delas informa que o Tribunal do Júri foi adiado para uma data ainda não definida, para que seja considerada a possibilidade de o assassino ter sido acometido por transtornos psicológicos.

No sentido oposto, o TODA PALAVRA tem acompanhado de perto as políticas públicas do município para reduzir os índices de criminalidade, no âmbito do Pacto Niterói contra a Violência, com destaque para o trabalho da Coordenadoria da Mulher (CODIM), que atua na garantia de direitos e na proteção a mulheres, com foco em casos de violência doméstica.

O portal noticiou o aumento significativo das ocorrências de feminicídio e agressão a mulheres durante a pandemia, no Brasil e em Niterói. E registrou as ações promovidas pelo município nesse sentido. Da abertura de novos canais para denúncias, passando pelo apoio jurídico e psicológico às vítimas, e chegando à capacitação de agentes públicos para detectar e atender emergências do tipo.

A capacitação de agentes da Guarda Municipal para um atendimento mais humanizado à população, assim como o trabalho realizado pelo Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp) no monitoramento dos bairros e no cercamento de vias para evitar a evasão de criminosos, foram registrados pelo portal.

Os esforços da prefeitura na criação de oportunidades para populações mais vulneráveis, jovens e negros, ações que também fazem parte do Pacto Niterói contra a Violência, não passaram em branco nas páginas do TP, que vem mostrando os investimentos do município para melhorar a segurança, incluindo o aumento da frota de motocicletas da GM no mês de outubro.

Ainda com todas as inciativas na área de segurança pública, Niterói, como todas as cidades de mesmo porte ao redor do mundo, não está livre da ocorrência de delitos. Tráfico de drogas, assaltos a residências, roubos de cargas e de veículos, estelionato, furto de celulares, operações policiais e confrontos em comunidades, roubo de cabos de cobre nos postes, ligações clandestinas de tevê a cabo e furto de energia foram alguns dos casos registrados pelo jornal.


Direitos Humanos e memória


Na área da justiça e dos direitos humanos, o TP acompanha o caso do 'Cara de Cachorro' ou 'Cachorrão', personagem das ruas do Centro da cidade famoso por 'latir' de brincadeira para os transeuntes. Ele foi acusado injustamente de tráfico de drogas e o portal vem mostrando a atuação do Coletivo Direito Popular, grupo formado por advogados voluntários da UFF, em sua defesa. Cachorrão foi solto, mas agora não responde mais por tráfico, e sim por porte e uso. O TP vai continuar atualizando os fatos deste caso.

Outra questão abordada pelo jornal online que mobilizou os leitores foi a do patrimônio histórico da cidade. Matérias exclusivas sobre o Palacete São Domingos, a Casa de Norival de Freitas e a Capela de São Pedro, no Cemitério do Maruí, tiveram grande repercussão nas redes.

Outra exclusiva, publicada em 21/3, atraiu a atenção do público. Foi sobre as canoas caiçaras da Lagoa de Araruama, que resistem ao tempo e mantêm viva a pesca artesanal naquela região.