Inflação dispara em setembro e atinge 10% em 12 meses

Atualizado: 25 de set. de 2021


(Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

Pressionada pela alta dos alimentos e dos combustíveis, a inflação disparou no mês de setembro, segundo informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (24). Considerado a prévia da inflação oficial, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) fechou em 1,14 por cento, batendo recorde histórico para um mês desde o início do Plano Real, em 1994, e contribui para ultrapassar dois dígitos (10,05%) no acumulado de doze meses. É um patamar muito acima da meta de inflação estabelecida pelo governo para 2021, que é de 3,75% com margem de tolerância até 5,25%.

O resultado superou as projeções mais pessimistas do mercado. O IPCA-15 mede as variações de preços entre os dias 15 de cada mês e, por isso, serve como uma prévia da inflação oficial do governo.

O índice foi impulsionado principalmente pela alta da conta de luz e da comida, sobretudo das carnes. O aumento da gasolina também impactou fortemente.

Só este ano, a gasolina já acumula alta de 39%.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg