Inflação explode e já acumula 1,56% em 2022


(Reprodução)

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial, registrou alta de preços de 1,01% em fevereiro. A taxa é a mais elevada para um mês de fevereiro desde 2015 (1,25%). No ano, o IPCA acumulado chega a 1,56%. A cenoura foi o alimento com maior alta no mês passado (55,41%) e já dobrou de preço em 2022.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com o resultado, em 12 meses, o IPCA acumulado chega a 10,54%.

Os produtos alimentícios tiveram inflação de 1,25% em fevereiro. Já os não alimentícios tiveram alta de preços de 0,92%.

No grupo alimentação, a alta de preços foi puxada pela cenoura (55,41%) e pela batata inglesa (23,49%). No acumulado no ano, a alta da cenoura chega a 98,36% - de longe o maior aumento entre os alimentos. A batata inglesa já subiu 35,41%, as hortaliças e verduras tiveram alta de 24,77% e o pó de café, de 7,38%.

A alta de preços dos alimentos em fevereiro foi ainda mais intensa do que em janeiro (1,11%).

Os demais grupos de despesas apresentaram as seguintes taxas de inflação: , educação (5,61%)habitação (0,54%), artigos de residência (1,76%), vestuário (0,88%), saúde e cuidados pessoais (0,47%), despesas pessoais (0,64%) e comunicação (0,29%).

Inflação dos mais pobres

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a variação da cesta de compras de famílias com renda de até cinco salários mínimos, registrou inflação de 1% em fevereiro deste ano. A taxa é superior à observada em janeiro (0,67%) e a maior para um mês de fevereiro desde 2015 (1,16%).

A taxa do INPC ficou um pouco abaixo da observada pelo IPCA, que mede a inflação oficial e que registrou variação de 1,01%.

Em 12 meses, o INPC acumula taxa de 10,80%, acima dos 10,54% registrados pelo IPCA.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg