Instituto Marielle condena 5ª troca de delegado nas investigações


(Foto: Dayane Pires/Câmara Municipal do RJ)

O Instituto Marielle Franco divulgou uma nota para criticar a nova mudança de delegado na investigação do assassinato da vereadora e de seu motorista Anderson Gomes, que completa quatro anos em março. As investigações do caso passarão pela quinta troca de delegado responsável, conforme boletim da Polícia Civil publicado nesta terça-feira (2).

Segundo o boletim, o delegado Edson Henrique Damasceno, titular da Delegacia de Homicídios da Capital, que estava responsável pelo caso Marielle, vai para a chefia do Departamento-Geral de Homicídios e Proteção à Pessoa (DGHPP). Em seu lugar, assume o delegado Alexandre Herdy, que era titular da 10ª DP (Botafogo).

Para o Instituto Marielle "é inadmissível que ainda não tenhamos respostas sobre esse crime”. E afirma que "é responsabilidade do Estado brasileiro fornecer resultados sobre a investigação, transparência no andamento do processo, apoio, suporte e proteção as famílias de Mari e Anderson”.

“A quase um mês dos 4 anos sem respostas sobre quem mandou matar Marielle e o porquê, acordamos com mais uma mudança no caso na Polícia Civil. O quinto delegado a assumir a responsabilidade de trazer respostas sobre esse crime que chocou o Brasil e o mundo”, diz o instituto.

“São anos de dor e revolta renovados por mais notícias de interferências, trocas de comando e equipes vazadas na imprensa. O Comitê Justiça Por Marielle vê com preocupação mais uma troca na investigação do caso, continuaremos acompanhando e pressionando por justiça e responsabilização dos culpados”, finaliza a nota.


Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg