Investigado pela PF, ministro do Meio Ambiente pede demissão


(Reprodução)

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, pediu demissão do cargo. A exoneração foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) nesta quarta-feira (23). Salles sofria pressões para deixar o cargo desde o recrudescimento dos desmatamentos e queimadas na Amazônia, invasões de terras indígenas pelo garimpo incentivado pelo governo até as investigações que o apontam por supostas práticas de crimes. Ele alegou motivos familiares para deixar o cargo, apesar do respaldo que sempre teve do presidente Jair Bolsonaro.

"Apresentei ao presidente o meu pedido de exoneração, que foi atendido", afirmou Salles.

Para o seu lugar, Bolsonaro nomeou Joaquim Alvaro Pereira Leite, atual Secretário da Amazônia e Serviços Ambientais da pasta.

O ex-ministro é alvo de inquérito, autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), por supostamente atrapalhar investigações sobre apreensão de toneladas de madeira. A investigação partiu da Polícia Federal, e o delegado responsável acabou exonerado.

Salles também é alvo de outro inquérito, autorizado pelo STF no início deste mês, que apura a suposta prática de crimes com o objetivo de dificultar a fiscalização ambiental e impedir investigação envolvendo organização criminosa, além de suposto crime de advocacia administrativa.

"Experimentei ao longo destes dois anos e meio muitas contestações, tentativas de dar a essas medidas caráter de desrespeito à legislação, o que não é verdade", reclamou.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg