top of page

Japão vira sobre a Espanha e resultado elimina Alemanha


Com uma grande atuação no segundo tempo da partida disputada no Estádio Internacional Khalifa, em Doha, o Japão derrotou a Espanha por 2 a 1 de virada e garantiu a classificação para as oitavas de final da Copa do Catar. Com este resultado surpreendente, a seleção nipônica, além de avançar como primeira colocada do Grupo E, eliminou a poderosa seleção da Alemanha, que venceu a Costa Rica por 4 a 2, mas ficou atrás da Espanha no saldo de gols (seis contra um).

Jogadores japoneses comemoram a façanha (Foto: Divulgação/Fifa)

Assim, na próxima fase, a equipe comandada pelo técnico Hajime Moriyasu medirá forças com a Croácia, atual vice-campeã mundial, que encerrou a participação no Grupo D na segunda posição após empatar sem gols com a Bélgica nesta quinta.


Esta é a quarta oportunidade na qual os Samurais Azuis ultrapassam a fase de grupos de um Mundial de seleções em sete participações.

Apesar da derrota, os espanhóis conseguiram avançar com a segunda posição da chave. Assim, a Fúria pegará nas oitavas o primeiro colocado do Grupo D, o Marrocos.


A equipe espanhola iniciou a partida mantendo o estilo de jogo pelo qual ficou famosa, valorizando muito a posse de bola e trocando passes de forma a buscar a melhor oportunidade de atacar. E a primeira chance de marcar foi justamente da Espanha, quando o volante Busquets aproveitou bola rebatida de forma errada pela defesa japonesa para chutar com perigo aos 5 minutos.


Dois minutos depois a equipe nipônica conseguiu roubar uma bola na área da Espanha e, após troca de passes, o lateral Ito bateu para fora por muito pouco.


Porém, o domínio era mesmo da Fúria, que abriu o placar aos 10 minutos. Após a bola circular nas proximidades do gol japonês, Azpilicueta dominou na direita e cruzou para o meio da área, onde Morata subiu para testar e superar o goleiro Gonda. Com este gol, o atacante passou a dividir a artilharia do Mundial do Catar, com o total de 3 gols, ao lado do equatoriano Enner Valencia, do inglês Rashford, do holandês Gakpo e do francês Mbappé.


Aos 22, a Espanha voltou a chegar novamente com perigo, com chute de Morata que foi defendido por Gonda. Fora isso, muito pouco aconteceu no restante de um primeiro tempo no qual a seleção espanhola chegou ao total de 79% de posse de bola para dominar as ações.


No retorno para a etapa final o Japão voltou com duas mudanças, Mitoma no lugar de Nagatomo e Doan no lugar de Kubo. E essas substituições foram fundamentais para a nova postura da equipe nipônica na partida.

Logo aos 2 minutos o Japão pressionou a defesa dos espanhóis e a bola sobrou para Doan, que bateu da entrada da área para marcar um golaço. O gol abalou a Espanha, que ficou atônita diante do ataque japonês, que encaixou um contra-ataque aos cinco minutos. Doan recebeu na direita, cruzou para a esquerda, onde Mitoma escorou para o meio da área, onde o volante Tanaka não perdoou.


Porém, o juiz interrompeu o jogo para avaliar com o VAR (árbitro de vídeo) uma possível irregularidade no lance. Após uma parada de cinco minutos o gol foi validado.


A partir daí a Espanha até tentou voltar a assumir o controle das ações, mas suas ações ofensivas se mostraram pouco efetivas diante de um Japão que defendeu muito bem e saiu rápido em contra-ataques, conseguindo segurar a vitória até o apito final do árbitro.



Com a Agência Brasil

300x250px.gif
728x90px.gif