Lambanças de VAR derrubam chefe da comissão de arbitragem


Leonardo Gaciba foi demitido da comissão de arbitragem pela CBF (Reprodução)

Após sucessão de erros bizarros envolvendo uma crise na arbitragem brasileira e o mau uso do recurso tecnológico de VAR - chamado árbitro de vídeo - ao longo dos jogos das Séries A e B, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou nesta sexta-feira (12) a demissão de Leonardo Gaciba, presidente da comissão de arbitragem. Além de demitir o ex-árbitro, a entidade promete uma reformulação na estrutura do órgão.

“Houve entendimento mútuo da necessidade de uma mudança com a implementação de novos procedimentos visando maximizar os acertos e minimizar os erros de todos os envolvidos”, disse a CBF em nota oficial, após reunião entre Ednaldo Gomes, presidente da entidade, e o próprio Gaciba.

O atual vice-presidente da comissão, Alício Pena Júnior, assumirá interinamente a vaga deixado por Gaciba, que estava no cargo desde 2019, até o final deste ano.

A demissão de Leonardo Gaciba ocorre no dia seguinte à marcação contestada de um pênalti pelo árbitro Vinicius Gonçalves Dias Araújo, que originou o primeiro gol do Flamengo na noite de ontem (11), na vitória contra o Bahia por 3 a 0. Araújo anotou o pênalti ao ver toque do braço do zagueiro Conti na bola. Após chamado pelo Árbitro de Vídeo (VAR), Araújo revisou o lance e manteve o pênalti. Esse foi o terceiro pênalti "polêmico" marcado contra a equipe baiana em seus três últimos jogos.

Dentre as reclamações contra a arbitragem brasileira, a principal tem sido em relação ao excesso de intervenções do avacalhado VAR em lances interpretativos - quando a decisão do campo deveria ser soberana, sem possibilidade de ser modificada com o recurso da cabine.

300x250px.gif
728x90px.gif