top of page

Lula afirma nunca estar seguro com a Abin e rebate Bolsonaro


O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse nesta terça-feira (3) que "nunca está seguro" em relação a nomeações para o alto escalão da Agência Brasileira de Inteligência ( Abin ). No entanto, afirmou que confia no atual diretor-geral da Inteligência, Luiz Fernando Corrêa.


Em entrevista a rádio CBN Recife, Lula também rebateu o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e disse que ele falou uma "grande asneira" ao afirmar que a operação da Polícia Federal, que fez busca e apreensão contra Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), é uma perseguição.


A PF investiga atualmente a chamada "Abin paralela", um suposto esquema de espionagem ilegal contra autoridades e adversários políticos na gestão de Jair Bolsonaro. Segundo informações da PF, Carlos Bolsonaro é “a principal pessoa da família que recebia informações da Abin paralela". As investigações indicam ainda que teria partido dele a ideia de criar esse grupo paralelo, para usar a estrutura da agência de Inteligência para espionagem ilegal.


"A gente nunca está seguro. O companheiro que indiquei para ser diretor-geral da Abin é companheiro que foi meu diretor geral da PF entre 2007 e 2010, é pessoa que tenho muita confiança e por isso chamei, já que não conhecia ninguém dentro da Abin. E ele montou a equipe dele e dentro da equipe tem cidadão que está sendo acusado que mantinha ligação com Ramagem, que é ex-presidente da Abin do governo passado", afirmou o presidente..


Em seguida, Lula fez uma menção indireta ao delegado da PF Alessandro Moretti, atual diretor adjunto da agência, que teria favorecido investigados pela PF e mantido contato com o ex-chefe da Abin do governo Bolsonaro, Alexandre Ramagem - atual deputado federal (PL-RJ). Segundo Lula, "não há clima" para o número 2 continuar na Abin, mas defendeu que medidas sejam tomadas apenas após a investigação sobre o caso.


"Dentro da equipe dele tinha um cidadão, que é o que está sendo acusado, que mantinha relação com o Ramagem, que é o ex-diretor da Abin do governo passado. Inclusive, relação que permaneceu já durante o trabalho dele na Abin. Se isso for verdade, e está sendo provado, não há clima para esse cidadão continuar na polícia. Mas antes de você fazer simplesmente a condenação, é importante investigar corretamente", disse Lula ao ser questionado se estava "seguro" com a Abin atual.


Lula ainda afirmou que a polícia "não pode exorbitar em fazer pirotecnia" e precisa respeitar a presunção de inocência de investigados, o que ele diz não ter tido direito quando foi alvo de investigações na Lava Jato.


"Todo mundo sabe, tanto PF quanto MP [Ministério Público], quer investigar, investigue, mas não faça show pirotécnico, não fique divulgando nome da pessoa antes de ter prova concreta, não fique destruindo imagem das pessoas antes de investigar", disse.

Comentarios


Divulgação venda livro darcy.png
Chamada Sons da Rússia5.jpg
bottom of page