Lula deslancha também em SP com 43%; Bolsonaro tem 30%


(Foto: Ricardo Stuckert e Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera, com folga, a corrida presidencial entre eleitores do estado de São Paulo com 13 pontos de vantagem sobre o presidente Jair Bolsonaro (PL). Lula tem 43% das intenções de voto contra 30% de Bolsonaro. Os dados são da pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (1º).

A vantagem entre os eleitores em São Paulo é considerada crítica para os presidenciáveis. O estado tem o maior colégio eleitoral do Brasil, com 33,1 milhões de eleitores - uma fatia de 21,7% do eleitorado nacional, que é de 152,3 milhões de eleitores.

Os resultados confirmam a vantagem de Lula já apontada na pesquisa nacional do Datafolha divulgada em 23 de junho. No cenário nacional, Lula aparece na frente, com 47% das intenções de voto, ante 28% registrados por Bolsonaro. O resultado garantiria a Lula a vitória já no primeiro turno. Isso porque, se fossem computados apenas os votos válidos da pesquisa (ou seja, excluindo-se os nulos e brancos), o percentual de Lula subiria para 53%, o que garantiria a vitória no pleito.

Em terceiro lugar na sondagem, aparece Ciro Gomes (PDT), com 8% das intenções de voto, seguido de Simone Tebet (MDB), com 3%, e André Janones (Avante), com 2%. Vera Lúcia (PSTU), Pablo Marçal (PROS) e Luiz Felipe d'Avila (Novo) aparecem empatados com 1%.

Já os candidatos Sofia Manzano (PCB), Eymael (Democracia Cristã), Luciano Bivar (União Brasil), Leonardo Péricles (UP) e General Santos Cruz (Podemos) não pontuaram. Dos entrevistados, 9% responderam que pretendem votar nulo ou branco e outros 2% não souberam responder. A pesquisa entrevistou 1.806 eleitores, entre os dias 28 e 30 de junho.

Ainda de acordo com Datafolha, Bolsonaro alcançou sua pior avaliação no estado, com 49% de reprovação e 27% de aprovação do seu governo. Já 56% dos eleitores de São Paulo não votariam em Bolsonaro de jeito nenhum, ante 43% em Lula.

Pelas últimas pesquisas, o Brasil se aproxima a passos largos de ser o próximo país da América Latina a retirar a direita do poder. O mais recente foi a Colômbia, com a vitória de Gustavo Petro em 19 de junho.


300X350px_Negra.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg
728X90px (2).gif