Lula recorre de decisão que manteve seus bens bloqueados


(Fotos Públicas)

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu recorrer da decisão que bloqueou os bens de Lula em processos referentes à Operação Lava Jato. De acordo com a ação protocolada pelos advogados de Lula, a 13ª Vara Federal de Curitiba não poderia manter os bloqueios em razão da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que determinou a incompetência da Justiça Federal do Paraná para julgar quatro processos contra ele.

No dia 8 de março, o ministro Edson Fachin, do STF, concedeu um habeas corpus à defesa do ex-presidente e declarou incompetência da Justiça Federal do Paraná e anulou duas condenações do ex-presidente, tornando Lula elegível novamente.

No dia 16 de março, o juiz federal Luiz Antonio Bonat, atendendo a determinação, envio as ações da Lava Jato ao Distrito Federal. Apesar da medida, Bonat manteve o bloqueio de bens de Lula nos processos relacionados ao triplex, sítio de Atibaia, doações ao Instituto Lula e sede do Instituto Lula.

Na decisão, o juiz escreveu que, caso essa não seja a interpretação feita pelo ministro Edson Fachin, o magistrado deveria informar para a Justiça Federal de Curitiba para que o desbloqueio dos bens fosse feito.

​Na sexta-feira (19), o ministro Edson Fachin solicitou informações à 13ª Vara Federal de Curitiba e determinou que os autos sejam enviados à Procuradoria-Geral da República (PGR) para manifestação antes da decisão sobre a liminar interposta pela defesa de Lula.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg