Mãe de Henry Borel coloca a tornozeleira eletrônica


(Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

A Secretaria Estadual de Administração Penitenciária do Rio de Janeiro informou que instalou tornozeleira eletrônica em Monique Medeiros na manhã desta quarta-feira (6), após ela deixar o presídio na noite de terça-feira (5) beneficiada por uma decisão da Justiça. Monique estava presa desde abril do ano passado, denunciada pelo assassinato de seu filho, o menino Henry Borel, junto com o ex-vereador Jairo Souza Santos Júnior, o Dr. Jairinho, seu companheiro na época da morte da criança, um mês antes.

Monique saiu do cárcere do Instituto Penal Santo Expedito, no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste do Rio, por decisão da juíza Elizabeth Machado Louro, do II Tribunal do Júri do Rio de Janeiro, que substituiu sua prisão preventiva por liberdade monitorada, por meio do uso de tornozeleira eletrônica. A magistrada considerou ameaças sofridas pela mãe de Henry dentro do presídio, ao tomar a decisão.

Além do monitoramento eletrônico, Monique está proibida de publicar mensagem em redes sociais e de manter contato com quaisquer pessoas que não sejam da família e parte de sua defesa.

Jairinho, também réu pelo assassinato do menino de quatro anos, continua preso, já que a Justiça negou a liberdade ao ex-parlamentar.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg