Médica que acudiu jogador que morreu em campo é condenada


A justiça romena condenou nesta segunda-feira (22), por homicídio culposo, a médica que atendeu em campo o jogador camaronês Patrick Ekeng, que morreu no hospital para o qual foi transferido, após sofrer um colapso durante um jogo de futebol da sua equipe, o Dínamo Bucareste, da primeira divisão. O caso ocorreu em 6 de maio de 2016 e teve repercussão mundial.

O Tribunal de Recurso de Bucareste considerou que a médica Elena Duta "foi grosseiramente negligente ao não tentar reanimar Ekeng durante os três minutos que demorou a chegada da ambulância".

A sentença, irrecorrível, estabelece pena de prisão de 18 meses, suspensão, e obriga a condenada a prestar serviço comunitário por dois meses. Durante a investigação da morte do jogador, de 26 anos, foi descoberto que a ambulância que o transferiu não estava equipada com os equipamentos de reanimação necessários.

O Tribunal ordenou também que uma indenização de 200 mil euros, coberta pela seguradora que contratou o jogo, seja paga a família do jogador.

"Acreditamos que a justiça foi feita e esperamos que seja um sinal de alerta, tanto para os clubes quanto para aqueles que prestam atendimento médico aos atletas", disse o advogado da família de Ekeng, Vlad Hossu.

Patrick Ekeng tinha 26 anos e morreu de parada cardiorrespiratória. De acordo com a autópsia, ele sofria de problemas cardíacos. A morte do camaronês causou consternação na Romênia e em várias partes do mundo, após as imagens serem mostradas repetidas vezes na TV. Torcedores do Dínamo prestam homenagens a Ekeng e arrecadaram fundos para sua família até hoje.

Além de fazer parte da seleção de Camarões, Patrick Ekeng jogou pelo Córdoba entre 2014 e 2015 e anteriormente foi do francês Le Mans e do suíço Lausanne.

Veja a cena:


Fonte: IG

1/3
300x250px - para veicular a partir do di

 Conheça a nova Scooter Elétrica

Não precisa de CNH, sem placa e sem IPVA

Leia também: