Médico de Bolsonaro também mente sobre vacina


Médico Antonio Luiz (à direita) com Jair Bolsonaro (Divulgação)

O cirurgião Antonio Luiz Macedo, médico de confiança do presidente Jair Bolsonaro, gravou uma mensagem de áudio que viralizou por todo o País. A gravação, na qual o profissional de saúde se identifica como "cirurgião do aparelho digestivo e conhecido no Brasil inteiro", traz uma informação falsa sobre os estudos de vacinas contra Covid-19.

Na mensagem, que dura cerca de cinco minutos, o médico afirma que um colega de profissão, de 28 anos de de idade, "morreu testando a vacina". Macedo provavelmente se referiu ao brasileiro que participava como voluntários dos estudos da vacina desenvolvida pela Universidade Oxford, que não chegou a receber a imunização em teste e fazia parte do grupo de controle, que recebeu um placebo.

Ao jornal Folha de S. Paulo, o cirurgião confirmou a autoria do áudio. "Respeito aos brasileiros, nós não somos cobaias para sermos testadas com vacinas que não têm aprovação de ninguém", diz a mensagem em outro trecho com igual conteúdo da fala de Bolsonaro na semana passada quando criticou a vacina CoronaVac, desenvolvida por laboratório chinês em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo.

O profissional de saúde também alfinetou o governador João Doria (PSDB), de São Paulo, e seu posicionamento que defende a vacinação obrigatória no estado. "Quem autoriza a vacinação não são leigos governadores ou prefeitos ou quem quiser da rede pública... quem autoriza a vacinação é o médico do paciente, que é responsável", diz.


Com IG

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg