Mídia americana: Rússia põe manipulação dos EUA em xeque


Presidente dos EUA, Joe Biden, faz selfie com soldados norte-americanos (Reprodução)

A revista norte-americana The National Interest declarou que a Rússia devolveu o mundo à multipolaridade e que sua operação na Ucrânia se tornou o ponto de mudança de princípios.

A revista destaca que a política tradicional dos EUA, que era baseada no princípio da esfera de influência regional e é descrita na Doutrina Monroe, já cresceu há muito tempo para uma escala global, enquanto para justificar suas constantes intervenções eles usaram slogans manipuladores.

Além disso, a mídia americana recorda que das bases militares que diferentes países espalharam no exterior 85% pertencem a Washington, sendo 750 bases em 80 Estados.

É por isso que, nas últimas décadas, uma porcentagem significativa de líderes políticos africanos e asiáticos tentou combater essa dominação, mas acabaram sendo atacados e expulsos por via militar ou isolados e boicotados pelos EUA.

Ao notar o risco de perder sua dominação global, os EUA passam a manipular as informações transmitidas ao mundo em uma tentativa de passar sua imagem de "mocinho" do "velho Oeste" e de salvadores do mundo.

Quando, na verdade, grande parte dos conflitos são criados ou motivados pelos próprios EUA em benefício aos seus próprios interesses, como é o caso da Ucrânia e Iêmen, onde a imagem e as palavras não condizem com as ações dos EUA.

E é justamente por isso que os países africanos, a Índia e a China não seguem os passos do Ocidente e não se juntam às sanções antirrussas.

O mundo de hoje vive por regras impostas por um país que se satisfaz apenas quando todos o seguem, realizando seus caprichos sem questionamentos e vontade própria, contudo, a Rússia está, de maneira coerente e fundamental, rompendo esta submissão global.

A revista conclui seu artigo com uma citação de Vladimir Lenin: "Há décadas em que nada acontece, e semanas em que acontecem décadas".


Fonte: Agência Sputnik

300x250px.gif
728x90px.gif