Macron sugere Europa plantar soja para preservar Amazônia


(Fotos Públicas)

O presidente da França, Emmanuel Macron, criticou a política ambiental brasileira nesta terça-feira (12), declarando que os países europeus precisam produzir soja para não depender da importação do Brasil.

Com o Brasil excluído, o evento One Planet Summit (Cúpula de Um Planeta) está sendo realizado por videoconferência com a participação de cerca de 30 chefes de Estado, empresários e representantes de ONGs para debater a preservação da biodiversidade. O evento começou nesta segunda-feira.

Em publicação nas redes sociais, o presidente francês defendeu a produção da soja na Europa, destacando que "continuar dependendo da soja brasileira é endossar o desmatamento da Amazônia. Somos coerentes com nossas ambições ecológicas, estamos lutando para produzir soja na Europa", posicionou-se Macron.

A declaração do presidente francês aparece no contexto em que estão em andamento as negociações para um acordo comercial entre a União Europeia e o Mercosul. A política ambiental do Brasil é vista como um obstáculo para o acerto entre as partes.

"Quando importamos a soja produzida a um ritmo rápido a partir da floresta destruída no Brasil, nós não somos coerentes [...] Nós precisamos da soja brasileira para viver? Então nós vamos produzir soja europeia ou equivalente", acrescentou Macron.

No final de 2020, o governo francês decidiu se comprometer com produtores agrícolas do país a aumentar em 40% as áreas destinadas ao cultivo de plantas ricas em proteínas, inclusive leguminosas semelhantes à soja.

O líder francês já manifestou diversas críticas em relação à política ambiental brasileira. Em agosto de 2019, Macron classificou os incêndios na Amazônia como "crise internacional". O presidente Jair Bolsonaro, por sua vez, diversas vezes reagiu aos comentários do colega francês, acusando Macron de promover interferência externa e ameaçar a soberania brasileira.


Com a Sputnik

1/3
300x250px.gif