Major PM condenado a 17 anos por chefiar milícia no Rio


Policiais civis prendem miliciano na Zona Oeste do Rio (Reprodução)

O Conselho de Sentença do IV Tribunal do Júri do TJ-RJ condenou nesta sexta-feira (22) o major da Polícia Militar Ronald Paulo Alves Pereira a 17 anos e seis meses de prisão por organização criminosa. Ele foi denunciado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) como comandante da milícia de Rio das Pedras e da Muzema, na Zona Oeste do Rio. Junto com o militar foi condenado também Daniel Alves de Souza, a seis anos e três meses.

Ambos foram denunciados na primeira fase da Operação Intocáveis juntamente com o ex-capitão do Bope Adriano da Nóbrega, morto na Bahia em fevereiro do ano passado - o ex-capitão era apontado como chefe da milícia Escritório do Crime e chegou a ser homenageado com a Medalha Tiradentes pelo então deputado Flávio Bolsonaro, hoje senador (Patriota-RJ). A Operação Intocáveis foi desencadeada pelo Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP-RJ em janeiro de 2019. Até o momento foram condenados seis dos 12 réus da operação contra milícias na capital fluminense.

Toda Palavra_Banner_300x250_Celular.gif
1/3
NIT_728x90-03.gif
NIT_300x250-01.jpg