Manhã de aglomeração e desacatos na Praia de Icaraí

Atualizado: Abr 12


Carlos Jordy e Douglas Gomes comandaram, do alto do carro de som, a manifestação bolsoinarista / Reprodução

Domingo, nove e meia da manhã. No horário em que tradicionalmente os cristãos buscam a Deus nas missas e nos cultos, seja nos templos, seja nas suas próprias casas, onde as celebrações religiosas têm chegado cada vez mais pela internet nesses tempos de pandemia e distanciamento social, cerca de 200 manifestantes se concentravam na Praia de Icaraí, em frente à Reitoria da UFF, em uma manifestação convocada por bolsonaristas pelas redes sociais.

A anunciada ”Marcha da Família Cristã pela Liberdade” não tinha no comando nenhum padre ou pastor. Do alto de um carro de som, o ato era liderado pelo deputado federal Carlos Jordy (PSL), vice-líder do governo Bolsonaro na Câmara Federal, pelo vereador Douglas Gomes (PTC), único representante bolsonarista na Câmara de Niterói, e pelo candidato de extrema direita derrotado nas últimas eleições municipais, Alan Lyra.

Sob as ordens do trio, a multidão gritava palavras de ordem contra o prefeito Axel Grael (PDT) e desafiava praticamente todas as normas de distanciamento social determinadas pelo decreto municipal que impôs restrições de circulação e adotou medidas de lockdown como única forma preconizada pelas autoridades sanitárias para conter o avanço do surto de coronavírus e evitar o colapso dos hospitais da cidade, que estão com suas lotações de leitos para covid-19 quase no limite.

Guarda Municipal expulsa da areia

A aglomeração e o desprezo pelo uso das máscaras faciais pela grande maioria dos manifestantes não foram, porém, as únicas formas de desacato às leis. Os próprios representantes da lei e da ordem foram afrontados e impedidos de cumprir suas ordens pela multidão.

Um grupo de aproximadamente cinco guardas municipais foi expulso pelos manifestantes quando tentava retirar pessoas das areias da Praia de Icaraí, a fim de fazer valer o decreto do prefeito Axel Grael. Dezenas de manifestantes invadiram a areia, cercaram os agentes, que, acuados, recuaram e se retiraram da faixa de areia, que passou ao domínio bolsonarista. Veja no vídeo abaixo:

No sábado, à noite, o vereador Paulo Eduardo Gomes (PSOL), presidente da Comissão de Saúde da Câmara Municipal, preocupado com o anúncio da manifestação e a afronta às normas do decreto municipal de distanciamento social, enviou ofício ao Secretário Municipal de Ordem Pública, Coronel Paulo Henrique Moraes, pedindo a adoção de medidas preventivas.

No ofício, o parlamentar pedia para que “sejam adotadas todas as providências cabíveis a fim de coibir o descumprimento das normas municipais e estaduais, valendo-se dos meios necessários para impedir a aglomeração de pessoas neste domingo, dia 11 de abril, na Praia de Icaraí e nos arredores, adotando todas as medidas cabíveis a fim de cumprir as normas supramencionadas, inclusive, se for o caso, encaminhando aqueles que descumprirem os atos normativos à Delegacia de Polícia para que a Autoridade Policial aprecie eventual prática dos crimes previstos nos artigos 268 e 330 do Código Penal”.

No documento, Paulo Eduardo também ressaltava que “a omissão dos agentes públicos municipais ou estaduais pode também ser interpretada como uma grave violação das leis e normas de combate à pandemia”.

Trecho do ofício enviado no sábado pelo vereador Paulo Eduardo para o Coronel Paulo Henrique

Também na véspera o TODA PALAVRA perguntou ao secretário de Ordem Pública e ao comandante do 12º BPM, Coronel Sylvio Guerra, qual seria o procedimento das forças de segurança em relação à manifestação anunciada. Na única resposta dada ao jornal, pelo Coronel Sylvio Guerra, o comandante disse que a PM “iria acompanhar”.

Nas redes sociais, bolsonaristas comemoravam: “Colocamos a Guarda Municipal para correr”. Sem encontrar resistência, os manifestantes caminharam pela Praia de Icaraí com suas bandeiras verde e amarelas, levantando palavras de ordem contra as medidas adotadas pelo prefeito de Niterói e a recente decisão do Supremo Tribunal Federal, que validou a proibição de celebrações religiosas presenciais nos contextos graves da pandemia de coronavírus.

O carro de som tocou várias vezes a música “Eu te amo, meu Brasil”, lançada em 1970 pelo grupo Os Incríveis. A música foi largamente usada pela ditadura militar nos anos 70, durante o período de maior perseguição política e censura à imprensa, como forma de exaltação ufanista em meio à supressão da liberdade no país.

Críticas

Parlamentares da cidade se manifestaram ao longo do dia pelas redes sociais, condenando a manifestação dos bolsonaristas. Segundo o deputado estadual Waldeck Carneiro (PT), os atos praticados são incompatíveis com a filosofia cristã, invocada pelos manifestantes.

“Negacionismo e patologia social em ato insano promovido por @carlosjordy contra medidas de enfrentamento à COVID em Niterói. Aglomeração de pessoas sem máscara, lideradas por deputado que é sócio do vírus e disseminador de fake news sobre ações da prefeitura. Ainda sobre a Marcha “Cristã” de hoje em Niterói: seus líderes, militantes organizados e seguidores incautos demonstram desapreço aos valores que apregoam. Para eles, é Pátria submissa, liberdade para morrer e famílias destroçadas pelas mortes. Uma Barbáre!”, comentou Waldeck.

Já o vereador Paulo Eduardo Gomes criticou a prefeitura por não impedir o ato:

“Criminosa a manifestação que ocorreu em Icaraí. No pior momento da pandemia, com mais de 350 mil mortos, bolsonaristas insistem em espalhar o vírus. Nosso repúdio à omissão da Prefeitura que não enviou nenhuma força de segurança pra impedir.”


1/3
300x250px - para veicular a partir do di

 Conheça a nova Scooter Elétrica

Não precisa de CNH, sem placa e sem IPVA

Leia também: