Manifestantes pedem revogação da prisão de jovem em SG


Foto: Reprodução/redes sociais

Amigos, familiares e membros de associações de direitos humanos realizaram um protesto, na manhã desta segunda-feira (7/3), em frente ao Fórum Patrícia Acioli, no bairro Colubandê, em São Gonçalo, pedindo a revogação da prisão do jovem Caio Telles Guimarães, de 20 anos. Ele foi preso no dia 22 depois de ter sido reconhecido, sem provas, como autor de um roubo de motocicleta.


Caio é ex-cadete do Exército. No último dia 22, ele foi preso no meio da rua, em flagrante, identificado como autor de um roubo a uma motocicleta. No entanto, segundo a família, imagens de câmeras de segurança mostram o momento que Caio deixa sua residência usando bermuda, chinelo e com a camisa no ombro às 13h30. O GPS do celular dele também indica a distância percorrida pelo jovem entre a casa dele e a rua Gregório de Matos, onde foi preso. Além disso, nenhum objeto roubado foi encontrado com o rapaz no momento da prisão.


As imagens, cedidas ao UOL, foram conseguidas somente após a audiência de custódia que determinou a conversão da prisão em flagrante em preventiva. A rua Gregório de Mattos, onde o jovem foi preso, fica a um pouco mais de 1 km da rua David Campista, endereço do roubo.


Desde então, Rosângela Telles, a mãe do jovem, está realizando uma campanha para tentar provar a inocência do filho.


"Hoje nós nos reunimos aqui justamente para mostrar que o Caio não está sozinho. Essas pessoas que estão aqui não representam um terço de quem queria estar conosco, nós apoiando. Mas, sabemos que todos têm compromissos e muitos não puderam estar aqui fisicamente. Mas, sinceramente? Eu não esperava nada diferente. Sempre tivemos uma conduta exemplar, reta. Meu filho nasceu e foi criado na mesma casa, todo mundo conhece ele. Todo mundo conhece minha família. Até quando ser preto será um problema no Brasil? Ele foi preso, outros são mortos! Não estamos seguros nunca. Toda hora uma notícia diferente de uma barbárie, um crime. Meu filho é inocente e a gente tem como provar", disse Rosângela, que a todo momento era procurada por outras mães que foram a manifestação abraçá-la.


"Eu tenho filhos pretos e morro de medo todos os dias. Estamos com você nessa", disse uma mulher, enquanto abraçava a mãe do Caio.


Após o ato, o advogado da família protocolou um pedido de revogação da prisão de Caio no Fórum do Colubandê. Políticos da região e membros de organizações não-governamentais também estiveram presentes na manifestação. A comissão de direitos humanos da Alerj também foi ao local e ofereceu ajuda psicossocial para o Caio e seus familiares.


Em nota, a Polícia Civil disse que o caso é referente a uma prisão em flagrante efetuada pela Polícia Militar, em que o autor foi reconhecido por duas vítimas, e que não se trata de uma investigação com base em um inquérito policial.


"Portanto, o delegado agiu dentro da lei e qualquer elemento surgido após a prisão pode ser apresentado pela defesa junto à Justiça", informou a instituição.

300x250px.gif
728x90px.gif