top of page
banners dengue balde niteroi 728x90 29 2 24.jpg

Marcos do Val entrega Bolsonaro à PF: não se opôs ao plano


(Reprodução)

O senador Marcos do Val (Podemos-ES) disse em depoimento à Polícia Federal que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) não manifestou contrariedade quando o ex-deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) o apresentou o plano para gravar o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal.


De acordo com o relato feito pelo senador na noite de quinta-feira (2) à PF, o objetivo do plano era contestar o resultado da eleição e impedir a posse do presidente Luiz Inácio da Silva para que Bolsonaro continuasse na Presidência.


Do Val relatou que, na reunião em que foi apresentado o plano de gravar Moraes, estavam presentes apenas o senador, o deputado e o então presidente. A reunião aconteceu em 9 de dezembro no Palácio da Alvorada e o convite teria partido de Bolsonaro por intermédio de Silveira.


Segundo ainda seu relato à PF, Silveira disse que o senador foi convocado por que cumpriria uma "missão importantíssima" que "entraria para a história": a de gravar uma conversa com Moraes e conduzir o diálogo para algo que pudesse alimentar a tese dos bolsonaristas de que o magistrado não teria cumprido devidamente com as funções como presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) durante as eleições de 2022.


Com isso, a intenção seria a de anular o pleito que sagrou eleito o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).


O senador disse que Bolsonaro se manteve em silêncio, mas, em nenhum momento, "negou o plano ou mostrou contrariedade" em relação à conspirata golpista. "Durante toda a conversa, o ex-presidente manteve-se calado, que a sensação que teve era que o ex-presidente não sabia do assunto, e que Daniel Silveira buscava obter o consentimento tanto do depoente como do presidente, que em nenhum momento o presidente negou o plano ou mostrou contrariedade ao plano, mantendo-se em silêncio", contou no depoimento.


Em seguida, o senador relata a manifestação feita por Bolsonaro na reunião. "O único momento em que o ex-presidente se manifestou foi quando o depoente disse que precisaria de alguns dias para dar a resposta, quando o ex-presidente respondeu que o aguardaria", relatou.


O senador conta ainda que relatou o caso ao ministro Alexandre de Moraes.


Lula diz que 'tem certeza' de envolvimento de Bolsonaro na intentona fascista

Em entrevista na quinta-feira (2), o presidente Lula disse que está certo de que Bolsonaro se envolveu diretamente da intentona fascista de 8 de janeiro.


"Este cidadão preparou o golpe. Hoje eu tenho consciência e vou dizer aqui em alto e bom som: este cidadão preparou o golpe. [...] Eu tenho certeza que Bolsonaro participou ativamente disso e ainda está tentando participar", afirmou o presidente.


Lula disse ainda que seu antecessor "tem que responder por seus crimes".


"Cometeu crimes, ofendeu a Suprema Corte, ofendeu tudo que tinha que ofender e tem que responder por esses crimes", afirmou.


Bolsonaro também é um dos alvos da investigação aberta no Supremo Tribunal Federal que investiga os "autores intelectuais" das invasões às sedes dos Três Poderes em Brasília.

Chamada Sons da Rússia5.jpg
banners dengue balde niteroi 300x250 29 2 24.jpg
Divulgação venda livro darcy.png
bottom of page